Archives for category: Tropos Usados na Gíria Chinesa

TCHÔI MÁU醉貓 (1) – Gato embriagado

É o termo comunmente empregado para designar um ébrio

TCHÔI TCHÜ災豬 (2) – Porco calamitoso

É o nome dum petisco feito com toucinho de porco sendo este termo empregado para se referir aos dorminhocos.

TCH´ÔI SIU吹簫 (3) Soprar a flauta

É o termo que, na gíria, se empregar se referir a um indivíduo que está entretido a mastigar uma vara da cana de açúcar.

(1) 醉貓mandarim pīnyīn: zuì māo; cantonense jyutping: zeoi3 maau1

(2)災豬 mandarim pīnyīn: zāi zhū ; cantonense jyutping: zoi1 zyu1

(3) 吹簫 mandarim pīnyīn: chuī xiāo; cantonense jyutping: ceoi1 siu1 – Flauta de bambu vertical

Retirado de GOMES, Luís G. – Tropos Usados na Gíria Chinesa, in «Mosaico», V-27/28 de Novembro e Dezembro de 1952, p. 144.

TCHÉONG AP醬 鴨  (1) – Pato feito com uma pasta de feijão

Este termo é empregado para se referir ao indivíduo que apanhou um trambolhão e ficou todo enlameado

TCH´EONG  SÁM長 杉 (2) Cabaia comprida

A cabaia comprida é o traje de cerimónia dos chineses que vestem por cima dela um colete chamado má-kuá, 馬褂 (3) quando pretendem apresentar-se a rigor.

(1)    mandarim pīnyīn: jiàng yā; cantonense jyutping: zoeng3aap3

(2) mandarim pīnyīn: cháng shān, ; cantonense jyutping: coeng4 caam3

(3) mandarim pīnyīn: mǎ guà ; cantonense jyutping: maa5gwaa3

Retirado de GOMES, Luís G. – Tropos Usados na Gíria Chinesa, in «Mosaico», V-27/28 de Novembro e Dezembro de 1952, p. 141.

Tcheng Tch´ói – 正菜 (1) – Brassica campestris, hortaliça genuína

É uma espécie de hortaliça salmourada e seca que entra frequentemente na preparação de caldos e na confeção de picados e recheios de bolos salgados. A palavra tcheng 正significa direito ou recto, portanto, este termo é aplicado a um indivíduo sério, isto é, que não é brejeiro. (2)

Mais conhecida como repolho chinês (brassica rapa, subespécie: pekinensis) muito utilizado na cozinha chinesa. (3)

Tcheng  Uân T´ân – 淨雲吞- (4) – Raviois simples

Os uân-t`ân 雲吞são picados de camarões envolvidos em delgada folha de massa, sendo geralmente servidos com o min 麵 (Macarrão), para se fazerem conhecidas e afamadas sopas de fitas. Dizem que o segredo da confecção dos uân-t´ân e do min foram revelados aos europeus, por Marco Polo, quando regressou da sua afamada viagem à China, transformando-se os min nos célebres macarrone e os uân-t´ân nos saborosos ravioli.(2)

淨雲吞 (5)

(1) – mandarim pīnyīn: zhēng  cài; cantonense jyutping: zeng3 coi3

(2)Retirado de GOMES, Luís G. – Tropos Usados na Gíria Chinesa, in «Mosaico», V-27/28 de Novembro e Dezembro de 1952, p. 141.

(3) https://en.wikipedia.org/wiki/Chinese_cabbage

(4) 淨雲吞 mandarim pīnyīn: jìng yún tūn;  cantonense jyutping: zeng6 wan4 tan1

(5) Retirado de:  https://learning.hku.hk/ccch9051/group-21/items/show/25

Tcheng Leng U蒸鯪鱼 (1) – Sável cozido a banho-maria

O sável é um dos peixes mais apreciados que se encontram nas águas dos rios chineses. Embora a sua carne seja saborosíssima, quando se come este peixe, é preciso ter o máximo cuidado coma extrema abundância das suas espinhas. Por este motivo, tal termo é empregado, para dizer que as criadas de servir, que se tornaram amantes dos seus patrões, dão-lhes tantos trabalhos como as espinhas do peixe sável, sendo, portanto, necessário o máximo cuidado para evitar as complicações que elas lhes poderão causar. (2)

Tcheng Pèang蒸餅 (3) – Bolinho Cozido

É uma espécie de bolinho que servem nas casas de chá, sendo feito com arroz glutinoso. Este termo é empregado para se referir aos parasitas, pois o arroz glutinoso é extremamente aderente. (2)

(1) 蒸鯪mandarim pīnyīn: zhēng líng yú : cantonense jyutping: zing1 leng4 jyu4

(2) GOMES, Luís G. – Tropos Usados na Gíria Chinesa, in «Mosaico»,V-27/28 de Novembro e Dezembro de 1952, p. 141

(3) 蒸餅 mandarim pīnyīn: zhēng bǐng: cantonense jyutping: zing1 bing2

TCH´ÁU FU TCH´I   炒扶翅 (1) – Rins ou moelas viradas ao lume

É termo empregado pelos ratoneiros para se referirem aos relógios e cadeias de ouro roubados. A palavra tch´áu é aqui empregada em substituição da que significa “roubo” e fu- tch´i, para substituir as palavras “relógio” e “cadeia de ouro”

TCH´ÁU NGÂU TCHÁP炒牛雜 (2) – Carne de vaca misturada e voltada ao tacho.

É um prato feito com pedacinhos de carne de vaca misturados com variados condutos. Por ser um prato reles feito com misturas, este termo é empregado para se referir às prostitutas ordinárias.

TCH´ÁU PÁK KÁP NGÂN炒白鴿眼 (3) – Olhos de pombos virados ao tacho

Termo que se emprega para significar que se olha com desprezo, para as pessoas humildes.

Retirado de GOMES, Luís G. – Tropos Usados na Gíria Chinesa, in «Mosaico»,V-27/28 de Novembro e Dezembro de 1952, pp. 140.

(1) 炒扶mandarim pīnyīn: chǎo fú chì; cantonense jyutping: caau2 fu4 ci3

(2) 炒牛雜mandarim pīnyīn: chǎo niú zá  ; cantonense jyutping: caau2 ngau4 zaap6

(3) 炒白鴿眼mandarim pīnyīn: chǎo bái gē yǎn; cantonense jyutping: caau2 baak6 gaap3 ngaan5

TCH´ÁU HÁ炒 蝦 (2) – Camarão grelhado

É termo insultuosamente pornográfico mas de uso comum entre os chineses. (1)

TCH´ÁU KUÂI TÁN炒龜蛋 (3) Ovos de tartaruga virados ao tacho

Termo que se emprega paras e referir a pessoas velhacas e que recorre a expedientes ilícitos e imorais para conseguirem os seus fins. (1)

TCH´ÁU LÓNG SÂM炒狼心  (4) – Virar ao lume o coração dum lobo

Este termo significa a prática de qualquer acção feita com requintes de crueldade, ou um indivíduo de maus instintos. (1)

(1) Retirado de GOMES, Luís G. – Tropos Usados na Gíria Chinesa, in «Mosaico»,V-27/28 de Novembro e Dezembro de 1952, pp. 139

(2) mandarim pīnyīn: chǎo xiā; cantonense jyutping: caau2 haa1

(3) mandarim pīnyīn: chǎo  guī dàn; cantonense jyutping: caau2 gwai1 daan6

(4) mandarim pīnyīn: chǎo láng xīn; cantonense jyutping: caau2 long4 sam1

Tâu Fu Fá豆腐花Queijada de feijão soja

“O feijão soja contém muitas substâncias nutritivas e vitaminosas. Os chineses fazem a queijada de feijão soja com a coalha desta semente e servem-na com uma calda de jagra ou de açúcar. Não a tomam nunca com mel, pois dizem que a mistura deste produto coma queijada de feijão é fulminantemente venenosa. Como esta coalha, quando exposta ao ar, durante algum tempo, se liquefaz, este termo é empregado para se referir a qualquer empreendimento que não consegue vingar, sendo desfeitos inutilmente o trabalho e esforço nele dispendidos.” (1)

Tâu Fu Tou豆腐刀Faca de cortar a coalha de feijão soja

“A coalha de feijão soja, além de servir para a preparação da queijada deste produto, destina-se também à confecção do tau-fu-mui, etc. A faca destinada a cortar essa coalha ou queijada é de madeira com gume de dois lados, podendo cortá-la tanto por um como por outro lado. Este termo é, por este motivo, empregado, para se referir a um indivíduo interesseiro que joga com o pau de dois bicos. (1)

(1) GOMES, Luís G. – Tropos usados na gíria chinesa in «Mosaico», V-27 e 28, Novembro e Dezembro de 1952, p. 137.

豆腐花mandarim pīnyīn: dòu fǔ  huā; cantonense jyutping: dau2 fu2 faa1

豆腐刀mandarim pīnyīn: dòu fǔ dāo; cantonense jyutping: dau2 fu2 dou1

TCHÂN TCHU MEI 珍珠未 (1) Sobejo de pérolas

É termo que se emprega para designar um indivíduo calisto (2) que causa a falência de qualquer loja onde se emprega (3)

(1)珍珠 mandarim pīnyīn: zhēn zhū wèi: cantonense jyutping: zan1 zyu1 mei6

(2) Indivíduo a cuja presença  o jogador infeliz atribui a sua má sorte.

(3) GOMES, Luís G. – Tropos Usados na Gíria Chinesa, in «Mosaico»,V-27/28 de Novembro e Dezembro de 1952, pp. 139

Ü – I – IÂU 如意油 Óleo “como deseja” (1)

É um óleo medicinal, fortemente mentolizado que os chineses usam para esfregarem a testa e as fontes, quando estão atacados com fortes dores de cabeça; para misturarem com o chá vulgar, quando se encontram atormentados por cólicas intestinais; as narinas, quando as fossas nasais se encontram obstruídas por forte constipação, etc. Ora as mulheres chinesas são terrivelmente caprichosas e, principalmente, quando os seus maridos ou os seus amantes se encontram por elas enfeitiçados. O meio mais eficaz ao qual recorrem para conseguirem os seus fins ou para desarmarem os homens, quando se encontram a questionar é o choro. Mas como as lágrimas nem sempre vertem com oportunidade elas untam com grande destreza os seus olhos com umas gotas desse líquido e, então, as lágrimas passam a correr, torrencialmente, obtendo-se assim o efeito desejado. O termo Ü-i-iâu é pois empregado paras e referir ao indivíduo  que chora com grande facilidade ou então, com lágrimas de crocodilo. (2)

(1) 如意油mandarim pīnyīn: rú yì yóu: cantonense jyutping: jyu4 ji3 jau4

Yu Yee Oil is a herbal medicated ointment with sweet peppermint smell. Known as 如意油 (rú yì yóu) in Chinese, this product is an expellent for wind. It is often rubbed onto baby tummies to ‘祛风’ (qū fēng) – remove wind in the stomach. It works on adults and children alike. Chinese mothers have been using it for centuries and it has been time-proven to be an effective treatment for gassy babies.”

(2) GOMES, Luís G. – Tropos Usados na Gíria Chinesa, in «Mosaico»,V-27/28 de Novembro e Dezembro de 1952.

Tchái (Chái) Abstinência

Este vocábulo é empregado para designar um preparado feito com aletria, amendoim, coalha de feijão seca, algas, fungos, cogumelos, hortaliça, e outros legumes, com exclusão completa de carne de quaisquer animais, quer peixes, aves, etc., por ser um prato que se serve em ocasiões de jejum. Assim quando se diz sek-tchái (comer o preparado de jejum) (1) quer dizer que se encontra em estado de abstinência carnal. (2)

(1) 食齋mandarim pīnyīn: shí zhāi: cantonense jyutping: sik6 zaai1

(2) GOMES, Luís G. – Tropos Usados na Gíria Chinesa, Mosaico, in «Mosaico»,V-27/28 de Novembro e Dezembro de 1952.