Archives for category: Relação Macau-Hong Kong

No dia 3 de Fevereiro de 1977, realizou-se em Hong Kong ” 17th ANNUAL PATA WORKSHOP” – subordinada ao lema:
“THE CONSUMER – THE ONLY PERSON WHO REALLY MATTERS”
numa realização conjunta de Hong Kong e Macau para a 17.ª Conferência da PATA (Pacific Area Travel Association) onde particip+aram cerca de 1500 delegados.
The PATA theme for 1977 – “The consumer – the only person that matters” – wears well. For if the main object of PATA is to sell tourism, then the consumer is the prime objective and his demands must be met. On an international level, PATA helps in smoothening out distinctions and in promoting areas and regions hitherto unexplored. It gives all members equality of status and in this it has succeeded in promoting international goodwill and cooperation.” (1)

A delegação de Macau, governador José E. Garcia Leandro, director do Centro de Informação e Turismo, Jorge A. H. Rangel e Rufino Ramos.

Fotos extraídos da Capa do “Anuário de Macau – Ano de 1977”, editado pelo Centro de Informação e Turismo, 1977, 506 p.
(1) A PATA (Pacific Area Travel Association) , é uma associação fundada em 1951, que realizou a sua primeira conferência em 1952, no Hawai com 84 delegados ligados ao turismo do Norte de América e área do Pacífico.

“PATA is a not-for profit association that is internationally acclaimed for acting as a catalyst for the responsible development of travel and tourism to, from and within the Asia Pacific region. The Association provides aligned advocacy, insightful research and innovative events to its member organisations, comprising 95 government, state and city tourism bodies, 25 international airlines and airports, 108 hospitality organisations, 72 educational institutions, and hundreds of travel industry companies in Asia Pacific and beyond. Thousands of travel professionals belong to the 36 local PATA chapters worldwide. “ http://www.pata.org/about-pata/

No dia 1 de Fevereiro de naufragou no baixo da Prata, a galera portuguesa “Joven Idhap” de José Vicente Jorge, (1) a qual tinha largado, em 23 de Janeiro deste ano, (2) de Manila para Macau, com 35 praças de tripulação, 2 passageiros – um chinês e outro filipino – e um rapazito filho de um dos marinheiros. Esta galera de 375 toneladas e 41 centésimos foi construída, no ano de 1847, em Bordéus (3) (4)
O «Boletim do Governo da Província de Macao, Timor e Solor»(5) traz o relato completo deste acidente. Reproduzo somente duas colunas desse comunicado.
(1) José Vicente Caetano Jorge (1803-1857) estudou ciência náutica no Colégio do seminário de S. José, após o que enveredou por uma bem sucedida carreira de negociante e exportador, em navios próprios, grangeando uma sólida fortuna. Esteve também ligado ao negócio da emigração (6) de trabalhadores chineses para as colonias espanholas da América Central e do Sul. (7)
Segundo Luís G. Gomes (3) (bem como Beatriz Basto da Silva) José Vicente Caetano Jorge faleceu em 31 de Março de 1956, com 53 anos de idade. Segundo Jorge Forjaz (8) foi a 31 de Março de 1857, com 54 anos de idade.
Ver anteriores referências em:
https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/jose-vicente-jorge-1803-1857/
(2) O navio “Joven Idhap“ tinha partido de Macau no dia 4 de Janeiro para Manila, onde chegou a 11, com retorno a 23 de Janeiro do mesmo ano, com uma carga de arroz. Do «Boletim do Governo da Província de Macao, Timor e Solor» II-11 de 5 de Janeiro de 1856.
Portuguese barque Joven Idhap, laden with rice, from Manila to Macao in January , 1856; two men died in the boats” (The Nautical Magazine and Naval Chronicle for 1857. Journal of Papers on Subjects  connected with maritime affairs)
(3) “31-03-1856 – Faleceu, com 53 anos de idade, o acreditado comerciante desta praça José Vicente Jorge, que ocupou por várias vezes o cargo de Procurador do Senado de 1840 a 1845 tendo sido agraciado pelos relevantes serviços prestados ao governo, com várias condecorações”  (GOMES, Luís G. – Efemérides da História de Macau, 1954).

A “Villa d´Alva”, residência de José Vicente Caetano Jorge em Hong Kong, ficava na “Macdonnell Road”. Demolida na década de 30 ? do século XX . (8)

(4) «Boletim do Governo da Província de Macao, Timor e Solor» II – 11 de 5 de Janeiro de 1856.
(5) «Boletim do Governo da Província de Macao, Timor e Solor» II-16 de 9 de Fevereiro de 1856.
(6) De 1851 a 1894, data do último regulamento que aborda em Boletim Oficial a emigração chinesa, vamos acompanhar o percurso do fenómeno, que deve o seu arranque europeu (via Hong Kong) a dois pioneiros franceses, Guillon e Durand; dispunham de engajadores chineses já prácticos nessa actividade bem à vista do próprio Império do Meio. Seguiu-lhes o macaense José Vicente Caetano Jorge, tendo este começado por levar 250 cules contratados para Callao de Lima (Peru), na barca Sophia, de que ele mesmo era proprietário (SILVA, B. B. da – Emigração dos Cules, 1994).
(7) FORJAZ, Jorge – Famílias Macaenses, Volume II, 1996, p. 256
(8) Segundo o site “Gwulo: Old Hong Kong”,
m>https://gwulo.com/node/36130#15/22.2757/114.1615/Map_by_ESRI-Markers/100

No dia 20 de Janeiro de 1954, visitou (visita oficial) Macau o Comandante-em-chefe da esquadra Inglesa no Extremo-Oriente, vice-almirante Sir Charles Edward Lambe (1) tendo chegado à Rada a bordo do «HMS Alert». Regressou a Hong Kong na manhã do dia  21 de Janeiro.
Esta visita foi noticiada e publicada no «Boletim Geral do Ultramar» de Março de 1954 (2)

A esposa do governador de Macau, tendo à esquerda o almirante inglês e à direita seu marido
O almirante inglês tendo à esquerda a esposa do governador e à direita a do comandante da força naval portuguesa no Extremo Oriente.
O governador de Macau, discursando
O almirante inglês, respondendo

(1)Comandante em Chefe da esquadra inglesa no Extremo Oriente de Março de 1953 a Março de 1954 . Pode ver e ler a biografia (em inglês) de Sir Charles Edward Lambe em
https://www.youtube.com/watch?v=yG_Dt6aaz_w
https://en.wikipedia.org/wiki/Charles_Lambe
(2) «Boletim Geral do Ultramar» XXIX-345, Março de 1954.

Notícia da visita a Macau do dia 19 a 21 de Janeiro de 1865 do Corpo de Voluntários de Hong Kong, publicada no suplemento do dia 21 de Janeiro de 1865 do jornal “The Illustrated London News”.

VISIT OF THE HONG KONG VOLUNTEER CORPS TO MACAU.
THE PARADE IN FRONT OF THE PAVILLON

Desembarque do Governador de Macau no regresso de Hong Kong

Extraído de «BGC»  XXVI-297, 1950.

Em Janeiro de 1954 realizou-se no Teatro Cheng Peng um espectáculo de variedades, a favor do Hospital de S. Rafael, patrocinado pela Sociedade de Abastecimento de Águas de Macau tendo participado o  mágico indiano Gogia Pasha (1) e o conjunto musical INK SPOTS. (2)
Também nesse mês realizou-se um grandioso festival artístico-desportivo no recinto da Piscina Municipal, em que tomaram parte artistas e atletas de Hong Kong e Macau. O produto das entradas foi assim dividido: 40% para os sinistrados do grande incêndio havido em Hong Kong; (3) 40% para o Hospital Kiang Wu; 20% para a Associação de Beneficência «Tong Sing Tong» (4)
(1) Gogia Pasha, famoso mágico indiano (décadas de 30 a 50 – século XX; faleceu em 1976) que se autointitulava egípcio (com vestimentos compridos e brilhantes, turbante, bigode e barbicha e olhar perverso) apresentava  os seus espectáculos de magia com uma mistura de comédia – partes humorísticas nos seus truques mágicos – intercalados com danças pelas suas assistentes femininos.

Cartaz dum espectáculo incorporado num calendário de 1953
Crédito: John Zubrzycki

Para mais informações deste mágico, aconselho leitura (em inglês) de:
ZUBRZYCKI, John – Unravelling the Mysterious Gogia Pasha, the Original Gilly Gilly Man, 2017
https://thewire.in/153325/mysterious-gogia-pasha-original-gilly-gilly-man/
(2) “The Ink Spots” grupo vocal americano de renome internacional do género musical “rhythm and blues” de 1934 a 1954. O grupo original terminou em 1954, pelo que a actuação em Macau terá sido a última digressão da sua carreira.
Mais informações (em inglês) e discografia em
https://en.wikipedia.org/wiki/The_Ink_Spots
http://inkspots.ca/
Alguns vídeos disponíveis:
https://www.youtube.com/watch?v=6l6vqPUM_FE
https://www.youtube.com/watch?v=wp2Hwi9qM48
https://www.youtube.com/watch?v=xcne73hJPZc

(3) Violento incêndio no dia 25 de Dezembro de 1953 destruiu a área de Shek Kip Mei – 石硤尾, (Hong Kong) onde viviam emigrantes da China continental, deixando 53 000 pessoas sem habitação.
https://en.wikipedia.org/wiki/Shek_Kip_Mei
Vídeos referentes a este acontecimento:
https://www.youtube.com/watch?v=Dt8USmzvKbo
https://www.youtube.com/watch?v=evIwMJRVoHQ
(4) Informações de «MACAU, B. I.»  I -12, 1954.

No dia 26 de Dezembro de 1865, o Governador José Rodrigues Coelho do Amaral presidiu, em Hong Kong, à festa solene da colocação da primeira pedra do edifício do Clube Lusitano, situado em «Shelly Street». (1)
O Boletim do Governo de Macau (2) de 1 de janeiro de 1866 noticiava o nascimento do Clube Lusitano:

«Club Lusitano» no cruzamento da «Shelley Street» e «Elgin Street».
http://www.clublusitano.com/history/

(1) O Clube Lusitano em Hong Kong foi inaugurado um ano depois, a 17-12-1866, pelo Governador José Maria da Ponte e Horta. A sede em «Shelly Street» duraria até 1920, ano em que foi transferida para «Ice House Street». Foi seu 1.º Presidente Francisco José Vicente Jorge.
Sobre o Clube Lusitano de Hong Kong ver:
https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/clube-lusitano-de-hong-kong/
http://www.clublusitano.com/history/
(2) Extraído de «Boletim do Governo de Macau» XII-n.º 1, 1866.