Archives for category: Relação Macau-Hong Kong

No dia 9 de Dezembro de 1956, o Grupo Desportivo da Polícia, com a colaboração da Comissão Administrativa da Associação de Futebol de Macau levou a efeito um interessante encontro de futebol, revertendo o produto das entradas a favor da caixa de Auxílio da Policia. Disputaram o encontro a equipa do Grupo Desportivo da Polícia e a Associação Atlética «Eastern» de Hong Kong, que após uma luta renhida e leal, acabaram empatados com 3 bolas cada uma. A colectividade organizadora pôs à disputa uma taça, que não obstante o empate verificado, foi oferecida à equipa visitante, como homenagem do grupo policial, grato pela gentileza da sua deslocação a Macau.

As equipas do «Kitchee Sports Club» e do «Grupo Desportivo da Polícia» antes do seu encontro a favor do Natal dos Pobres

Mal refeitos ainda das canseiras do primeiro jogo, os futebolistas do Grupo Desportivo da Polícia, auxiliados por alguns elementos do Grupo Desportivo «Negro-Rubro» e por um do Sporting Clube de Macau, voltaram a realizar novo encontro de beneficência, desta vez contra o famoso «Kitchee Sports Club» também de Hong Kong. O produto deste encontro, promovido pela Associação de Futebol de Macau reverteu a favor do «Natal dos Pobres de Macau», a cargo da Comissão Central de Assistência Pública, incansável na sua obra de bem-fazer. Ganhou o Grupo Desportivo da Polícia o encontro por 2 a 0. Disputou-se a «Taça Natal dos Pobres» que ficou em poder do grupo local

Extraído de «MBI», IV-81, 15 Dezembro de 1956 pp. 14-15

Realizou-se em Macau e Hong Kong (dia 8 de Dezembro), de 6 a 10 de Dezembro de 1985, a “Reunião Internacional de Gastroenterologia/Internacional Meeting on Gastroenterology”, que contou com a participação de especialistas vindos dos quatro continentes, com o fim de apresentar os mais recentes (na altura) conhecimentos sobre as doenças do aparelho digestivo. As sessões foram em português e inglês com tradução simultânea. Apresento o Programa (25 cm x 18 cm) com 22 páginas , composto e impresso na Imprensa Oficial de Macau.

Capa
Contracapa

O local das sessões foi no Forum de Macau com excepção do dia 8-12-1985 (Dia de Hong Kong) (1) que foi no Hotel Regent de Hong Kong.

Presidiu à sessão inaugural, o encarregado do Governo e Comandante das Forças de Segurança de Macau, coronel Amaral de Freitas (2)

De salientar que neste reunião os Serviços de Saúde de Macau apresentaram vários trabalhos nomeadamente:

1 – Serviço de Medicina:

Dr. Custódio Pais Rodrigues – Epidemiologia das doenças do aparelho digestivo em Macau

Dr. António Victal – Uma avaliação das parasitoses intestinais em Macau

2 – Serviço de Endoscopia Digestiva:

Dr. Alfredo Ritchie – A endoscopia digestiva- experiência do Hospital Central Conde de S. Januário

3 – Serviço de Cirurgia

Dr. Carlos Pereira – Diagnostico de tumores gástricos.

4 – Serviço de Psiquiatria

Dra. Maria Inês Silva Dias – Alguns aspectos do dinamismo psíquico das doenças funcionais.

Comissão Executiva

(1) O dia 8 de Dezembro (Domingo) foi organizado pelo Departamento de Medicina da Universidade de Hong Kong (Presidente: David Todd)

(2) O Governador contra-almirante Almeida e Costa estava em Lisboa onde inaugurou uma exposição patente na Missão de Macau e participou num seminário promovido por várias instituições e subordinada ao tema «Macau, entreposto privilegiado no desenvolvimento de negócios com a República Popular da China»

“A visita que cerca de 70 sócios do Clube Lusitano (1) fizeram, no dia 28 de Novembro de 1976 a Macau, constitui um acontecimento de notável importância nas relações entre a comunidade portuguesa de Macau e a residente no território vizinho de Hong Kong Foram recebidos no cais pelo Presidente do Leal Senado Sr. Rogério Artur dos santos e pelo Director do CIT, Dr. Jorge Rangel, tendo-se o Governador feito representar pelo seu ajudante em campo Capitão Costa e Silva. (…)

A Direcção do Clube Lusitano recebida pelo Governador de Macau.

A direcção da referida instituição associativa, a que preside o Comendador Arnaldo de Oliveira Sales, deslocou-se ao Palácio da Praia Grande, onde foi recebida pelo Coronel Garcia Leandro. (…)

A Direcção do Clube Lusitano e outras individualidades nas escadarias da entrada no Palácio da Praia Grande

No prosseguimento do programa da visita previamente elaborado, o Senhor Bispo da Diocese, D. Arquimínio Rodrigues da Costa, celebrou uma missa na Sé Catedral. (…)

Os visitantes no jardim Lou Lim Iok

Transportados em autocarros, foi-lhes oferecida uma digressão pela cidade incidindo esta sobretudo em pontos que para alguns deviam ser desconhecidos como é o caso do jardim Lou Lim Iok, que beneficiou de grandes melhoramentos depois da compra que o Governo fez aos seus proprietários e, consequentemente, da sua transição para o domínio público.

Os visitantes à saída do jardim Lou Lim Iok

O almoço oferecido no velho mas inconfundível Hotel Bela Vista, (2) reuniu mais duma centena de convidados, mantendo-se do princípio ao fim um ambiente acentuadamente familiar.

Almoço no Hotel Bela Vista
Oferta duma Caravela em filigrana em nome de Macau para os portugueses de Hong Kong que são os sócios do Clube Lusitano, na pessoa do seu presidente, Comendador Arnaldo de Oliveira Sales (3)

(1) “O Clube Lusitano surgiu em Hong Kong em 1866. A primeira pedra foi lançada em 1865. O Clube nasceu em 1866, sendo inaugurado oficialmente por um Governador de Macau, na altura o Conselheiro Horta” (trecho do discurso do Governador de Macau). Ver anteriores referências em: https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/clube-lusitano-de-hong-kong/

(2) “ Escolhemos este Hotel onde nos encontramos, não por ser o Hotel mais moderno de Macau, mas precisamente por ser o Hotel mais antigo de Macau, o Hotel a que estão ligadas, com certeza, gerações e gerações de portugueses de Macau que daqui saíram para Hong Kong e, também, por durante a guerra, a segunda grande guerra mundial aqui estiveram e, julgo que neste mesmo Hotel alguns viveram durante esses dias e anos difíceis da guerra. “ (trecho do discurso do Governador de Macau)

(3) “ Não é um presente de grande valor, mas tem um grande valor simbólico. Continua a significar que é através do mar e foi através do mar que os portugueses se espalharam pelo Mundo. E esse mar que a dada altura espalhou os portugueses pelo Mundo ainda hoje serve para fazer a sua ligação.“ (trecho do discurso do Governador de Macau)

Fotos e texto extraídos de «Macau B.I.T.», XI-9/10 de Novembro/Dezembro de 1976, pp. 24-27

Continuação das postagens anteriores sobre o 15.º Torneio internacional de Hóquei em Campo – Veteranos, (1) (2) realizado em Hong Kong, de 21 a 29 de Novembro de 1996, no  campo central do hipódromo de “Happy Valley”

Lembrança oferecida pelo capitão da equipa australiana após o encontro Austrália-Macau ao melhor jogador macaense em campo, apesar de “sofrer” cinco bolas nas suas redes.

Dimensões: 9,5 cm topo; 11,5 cm vertical

Da esqªp/dtª – de pé: Ernesto Silva, José dos Santos Ferreira Jr, Osório Cordeiro, António Almeida, Frederico de Sousa, Eduardo de Jesus, Gaspar Conceição, Filomeno Jorge, Filomeno Airosa, Fernando Silva, Rui Izidro, Manuel Assis, Jorge Silva.

1.ª Fila: António Cordeiro, Aniceto Gabriel, Vítor Pereira, Diógenes Dias, João Colaço, João Fazenda, J. Leitão Pereira, Rodolfo Dias, Paulo S. Fernandes (árbitro)

Continuação da postagem anterior sobre o 15.º Torneio internacional de Hóquei em Campo – Veteranos, (1) realizado em Hong Kong, de 21 a 29 de Novembro de 1996, no  campo central do hipódromo de “Happy Valley”

Final Draw I
Final Draw II
Reunião dos delegados das equipas participantes. À cabeceira, Ted Jones (Secretário do «International Masters» e  James Keir (Presidente da Associação de Hóquei m Campo – Veteranos de Hong Kong) – 24-11-1996
Welcome Party – 21-11-1996

(1) https://nenotavaiconta.wordpress.com/2021/11/21/noticias-de-21-a-29-de-novembro-de-1996-15o-torneio-internacional-de-hoquei-em-campo-veteranos-pacific-rim-international-masters-i/

CAPA – PROGRAMA (29,5 cm x 20,7 cm; 28 p.)

O 15.º Torneio Internacional de Hóquei em Campo – Veteranos, o chamado “PACIFIC RIM INTERNATIONAL MASTERS  HOCKEY TOURNAMENT”, realizou-se em Hong Kong,  de 21 a 29 de Novembro de 1996, organizado pela “Hong Kong  Hockey Association Veterans Section”, sob a presidência de James Keir. (1)

Os jogos decorreram no parte central do hipódromo de “Happy Valley”  onde existia três campos para a prática de hóquei em campo.
Contra-capa
Programação dos jogos

Neste torneio, nos “Masters 40” participaram 8 equipas que foram divididas em 2 grupos para as eliminatórias. Assim no Grupo A: Austrália, Macau, Malásia Kuala Lumpur e Coreia e no Grupo B: Malásia SAS, Hong Kong, Nova Zelândia e Singapura. No Grupo A, a equipa de Macau ficou em 2.º lugar (ganhou à «Malásia KL» por 2-0 e à Coreia por 3-0) perdendo com «Austrália» por 2-4, pelo que seguiu para a eliminatória seguinte com as equipas de «Malásia SAS» (1.º no grupo B) e Hong Kong (2.º do Grupo B). Macau perdeu ambos os jogos com estas duas formações pelo que ficou em 4.º lugar neste torneio

Resultados dos jogos (Grupo A)

(1) «Hong Kong  Hockey Association» candidatou-se para realizar este evento neste ano, para assinalar a sua participação como “colónia “ inglesa  pois a entrega de Hong Kong à China já estava marcada para 1 de Julho de 1997.

Extraído de «REVISTA COLONIAL», ANO I, n.º 12 de 26 de Dezembro de 1913, pp. 37-38. (1)

(1) Relação do agentes da “Agência Colonial, Limitada” nomeadamente em Macau: tenente-coronel Joaquim A. Ferreira dos Santos e em Hong Kong “Jorge & Co”

NOTA – F. J. V. Jorge referido neste artigo é Francisco José Vicente Jorge nascido na Sé a 1-11-1847 e falecido em Hong Kong a 2-04-1920. Era filho mais velho do segundo casamento do pai José Vicente Caetano Jorge (1803-1857) com Emília Antónia Xavier (1828-1892). Casou em Hong Kong a 16-02-1874 com Eulália Francisca (Xavier) de Sousa, em 1868. Irmão de Câncio José Jorge (1849-1900) e Emílio António Jorge (1850-1915) FORJAZ, Jorge – Famílias Macaenses, Volume II, 1996,259

Villa d´Alva 1933 – 1966?? Ver: https://gwulo.com/node/36130

The Directory & Chronicle for China, Japan, Corea, Indo-China, Straits.1904. p. 480

No dia 5 de Novembro de 1869, regressou a Macau o Governador António Sérgio de Souza (governo de 3 de Agosto de 1868 a 22 de Março de 1872) de volta de Hong Kong para onde tinha ido no dia 2 a fim de cumprimentar o príncipe Alfredo, Duque de Edimburgo (1) (primo do Rei Português D. Luís) e assistir à recepção oficial, representação teatral e baile em honra do príncipe.

Extraído de «BPMT», XV-45 de 8 de Novembro de 1869, p. 203

O Duque Alfredo de Inglaterra visitou Macau, vindo de Cantão no dia 9 de Novembro (estadia de 1 dia) (ver para postagem no dia 9 de Novembro)

Duke of Edinburgh, Alfred Ernest Albert, Sydney, ca. 1868, por Montagu Scott

(1) Alfred Ernest Albert (1844 – 1900) foi proclamado Duque de Edimburgo em 1866 até ser duque de Saxe-Coburg e Gotha de 1893 a 1900 (herdado do seu tio Ernesto II do Imperio germânico). Segundo filho da Raínha Victoria e Príncipe Alberto de Saxe-Coburg e Gotha. Fez carreira militar na Marinha inglesa, atingindo o posto de “Admiral of the Fleet” e entre outros cargos (Commander-in-Chief, Plymouth; Mediterranean Fleet, Channel Fleet; Admiral Superintendent of Naval Reserves, Malta), foi capitão do navio “HMS Galatea” e com este navio visitou Hawai em 1969 e depois Nova Zelândia (1.º membro da família real a visitar este país) com desembarque em Wellington em 11 de Abril de 1869. Foi depois ao Japão sendo o primeiro príncipe europeu a visitar este país (em 4 de Setembro de 1869, foi recebido pelo então adolescente imperador Meiji em Tóquio) e passou por Hong Kong, Cantão e Macau (um dia) em Novembro, para em Dezembro estar na Índia onde permaneceu três meses. https://en.wikipedia.org/wiki/Alfred,_Duke_of_Saxe-Coburg_and_Gotha

The Galatea, in Hong Kong harbour, carrying H. R. H. The Duke of Edinburgh. Iconographic Collections Keywords: John Thomson; john thompson; Water; J. Thomson; China; Landscape”(2)  in https://en.wikipedia.org/wiki/Alfred,_Duke_of_Saxe-Coburg_and_Gotha

(2) John Thomson (1837-1921) um dos primeiros fotógrafos a viajar para o oriente, estava em Hong Kong desde 1868 (ficou cerca de 4 anosneste território) tendo registado este visita real com fotografias a pedido do capelão colonial anglicano,  William Beach, para figurar num livro/álbum (3) comemorativo da visita e cuja receita foi para construção do novo coro da Catedral de St. John, em Hong Kong. https://www.princeton.edu/~graphicarts/2011/12/john_thomson_in_hong_kong.html

(3) John Thomson (1837-1921) and Rev. William R. Beach, Visit of His Royal Highness the Duke of Edinburgh, K.G., K.T., G.C.M.G., to Hong kong in 1869: Compiled from the Local Journals, and Other Sources (Hong kong: London: Printed by Noronha and Sons, Government Printers; Smith, Elder and Co., 1869).

NOTA: está disponível a série de fotos que John Thomson realizou dessa visita em: https://commons.wikimedia.org/wiki/Category:1869_Duke_of_Edinburgh%27s_visit_to_Hong_Kong

Ver anteriores referências a este fotógrafo neste blogue em: https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/john-thomson/ .

Notícia das comemorações, em Macau, do aniversário natalício do rei D. Luiz I, publicada no jornal “O Independente” de 6 de Novembro (1) que originalmente (na sua maior parte) foi retirada do “Boletim da Província de Macau e Timor”. (2)   

Extraído de «O Independente», Vol. I, n.º 10 de 6 de Novembro de 1868, p. 88
Rei D. Luís I, 1862

NOTA: D. Luís I (Lisboa, 31 de outubro de 1838 – Cascais, 19 de outubro de 1889), apelidado “o Popular”, foi o Rei de Portugal e Algarves de 1861 até à sua morte. Era o segundo filho da rainha D. Maria II e seu marido, o rei D. Fernando II, tendo ascendido ao trono após a morte prematura do seu irmão mais velho, o rei D. Pedro V. https://pt.wikipedia.org/wiki/Lu%C3%ADs_I_de_Portugal

Ver anterior referência em: https://nenotavaiconta.wordpress.com/2012/10/31/noticias-31-de-outubro-de-1872/

(1) «O Independente», Vol. I, n.º 10 de 6 de Novembro de 1868, p. 88

(2) «BPMT» XIV-44 de 2 de Novembro de 1868, p. 202

Extraído de «BGC», XXI-244, OUT1945 pp. 133 -138

De Hong Kong vieram para Macau, durante a Guerra do Pacífico, milhares de refugiados portugueses. Os rapazes ficaram privados das suas escolas; quanto à crianças e às raparigas, fácil lhes foi matricular-se nas escolas de Macau, tais como os Colégios de S. Rosa de Lima, do Sagrado Coração, de N. Sra. De Fátima, etc. Os rapazes, porém, não tinham nenhuma escola secundária, onde pudessem continuar os estudos violentamente interrompidos. Foi então que um dos mais categorizados refugiados, Porfírio Maria Nolasco da Silva, sugeriu que se solicitasse a vinda dos jesuítas irlandeses de Hong Kong para abrirem aqui um Colégio Inglês para esses rapazes.

A 27 de Outubro de 1942, chegaram a Macau os PP. Henry O´Brien e Brian Kelly; a 3 de Dezembro de 1942, chegaram os PP. Jeremias McCarthy e Thomas Cooney para com os primeiros iniciarem a escola. McCarthy e Coney instalaram-se na Residência dos Jesuítas da Vila Flor; O´Brien e Kelly no Seminário. A 1 de Janeiro de 1943 passaram os quatro para um edifício que o Governo pôs à sua disposição na Rua de S. Lourenço, (1) ficando superior o Padre O´Brien. A 4 de Janeiro desse ano, inauguraram nesse edifício o Colégio de S. Luís Gonzaga, (2) tendo no dia 18 celebrado, na Igreja de S. Lourenço, a missa do Espirito Santo, acompanhada a cânticos por um grupo de refugiados portugueses de Hong Kong.

Depressa se descobriu que o edifício da Rua Central era inadequado para acomodar o número de alunos que requeriam a matrícula e assim o Dr. Pedro Lobo assegurou muito obsequiosamente um outro edifício para o Colégio da Praia Grande.” (3)

Terminada a guerra em 1945, os refugiados regressaram a Hong Kong assim como os professores e alunos. Os jesuítas também foram para reabrir as suas escolas, encerradas durante a ocupação japonesa (1941-1945)

(1) O Padre Teixeira refere mais adiante que o edifício estava na Rua Central. (3)

S. Luis Gonzaga por Francisco Goya cerca de 1798

(2) Luís Gonzaga S.J (1568 — 1591), jesuíta italiano, Santo da Igreja Católica e patrono da juventude da igreja católica. Em 1729, o Papa Bento XIII declarou Luís de Gonzaga como o santo padroeiro dos jovens estudantes. Em 1926, ele foi nomeado padroeiro de toda a juventude cristã pelo Papa Pio XI. Devido à maneira de sua morte, ele foi considerado um santo padroeiro das vítimas da peste. Por sua compaixão e coragem diante de uma doença incurável, Luís Gonzaga tornou-se o patrono de pacientes com SIDA e de seus cuidadores. https://pt.wikipedia.org/wiki/Lu%C3%ADs_de_Gonzaga

 (3) TEIXEIRA, Padre Manuel – A Educação em Macau, 1982, p. 350