Archives for category: Músicas

Em 22 de Junho de 1935, a Academia de Amadores de Teatro e Música promoveu, na sua sede, um recital do barítono Serafim Strelkoff . (1) (2)

(1) GOMES, Luís G. -Efemérides da História de Macau, 1954.

(2) Notícia da presença do barítono russo em Singapura, extraída de “Malaya Tribune, 27 September 1935, p. 13”

Known as “The Singing Globe-Trotter”, Mr. Serafim Strelkoff has arrived in Singapore. He is a Russian baritone, and according to notices from many parts of the world he has a voice of splendid quality. Mr. Strelkoff was in Hollywood until early last year, and then decided to start off on a world tour on his own account. He has appeared all over America and in China and Japan, having a great reception everywhere. On Sunday evening he will be heard at the Sea View Hotel, where a special Russian concert will be given. Next Friday he will sing at the American Association luncheon and at Tanglin Club in the evening.” https://eresources.nlb.gov.sg/newspapers/digitised/issue/maltribune19350927-1

“Union Hi-Life”, October 1940, Vol. 10, Number 6, p. 3
http://fortvance.org/wp-content/uploads/2020/08/School_Misc.pdf
Dimensões: 27 cm x 19, 5 cm

Programa das Comemorações do Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades de Portuguesas para o dia 9 de Junho de 1984, bilingue, português e chinês, do Instituto Cultural de Macau.

Em complemento à postagem de 01 de Abril de 2017 (1), sobre as várias representações teatrais que a Companhia de Ópera italiana do Sr. Pompei estreou em Macau, no Teatro D. Pedro V, apresento a “crítica” aos espectáculos realizados no dia 6 e 7 de Abril de 1867. (2) A companhia que iniciou a “tournée” ao sudeste asiático, a 28 de Março de 1867 em Hong Kong, deu o 1.º espectáculo em Macau no dia 6 de Abril (e não a 1 de Abril, como foi publicado na anterior postagem) e voltou nos fins de semana para ao todo ter apresentado “12 serões teatrais”.

Extraído de «BPMT», XIII-13, 1 de Abril de 1867, p. 71
Extraído de BPMT XIII – 14 de 8 de Abril de 1867, pp.76-77

Continua na próxima postagem.

(1) https://nenotavaiconta.wordpress.com/2017/04/01/noticia-de-1-de-abril-de-1867-espectaculo-de-opera-italiana-no-teatro-d-pedro-v/

(2) Extraídos de «BPMT», XIII-13, 1 de Abril de 1867, p. 71 e «BPMT» XIII–14 de 8 de Abril de 1867, pp.76-77

Os «Pequenos Cantores do Colégio D. Bosco» actuaram no Ginásio da Escola Comercial, no dia 15 de Novembro de 1977, às 19,00 horas.

“O grupo apresentou-se impecável, nos trajos de marujo, com um programa concatenado pelo Padre Águeda, director do Colégio, que lhe deu uma feição das qualidades do povo português, coma sua alegria expressa nos cantares que acompanham a sua gente quer na Pátria quer no peregrinar pelo Mundo. Com o «Lisboa acordou», de Nóbrega e Sousa, encerrou-se a sessão, referindo que também acordou … Macau, com o ruído dos carros para o Grande Prémio, (1) no mesmo sentido de cooperação mundial e conquista de novas amizades.

Esteve presente o Governador, coronel Garcia Leandro, que se fez acompanhar da esposa. A assistência razoável teve uma bela oportunidade de ouvir o conjunto polifónico, com um novo atractivo de movimentos que introduziu pela primeira vez na sua actuação, por sinal muito feliz “ (2)

(1) Refere-se ao «XXIV Grande Prémio de Macau» que se realizou de 18 a 20 de Novembro de 1977. Ver em: https://nenotavaiconta.wordpress.com/2016/11/18/noticias-de-18-a-20-de-novembro-de-1977-xxiv-grande-premio-de-macau/

(2) Extraído de «MBIT», XII-9/10, Nov/Dez 1977, pp.9-11

“No dia 2 de Outubro de 1921, realizou-se no Teatro Vitoria um concerto com a cantora de leder Anna El Tour,(1) o pianista Leo Podolky (2)e a dançarina Mirowa.” (3) (4)

Os três artistas que actuaram em Hong Kong no dia 24 de Setembro de 1921, estavam a fazer uma “tournée” ao sudeste asiático.

(1) Anna El-Tour (em russo Анна Эль-Тур ), pseudônimo de Anna Samoilovna Isakovich cantora/soprano e pedagoga (desde 1948, até á morte, professora no Conservatória de Amesterdão) nasceu em 4 de junho de 1886, em Odessa e morreu em Amesterdão a 30 de Maio de 1954. Formou-se no Conservatório de São Petersburgo para piano e canto, continuando os estudos em Leipzig. Em 1908, fez uma digressão de sucesso pelo Reino Unido, com o violinista Jan Kubelík. De volta à Rússia, El-Tour canta em São Petersburgo. Nos anos 1913 a 1920 ensina em Moscovo, depois entre 1922 e 1925 em Berlim; entre 1925 e 1948 em Paris. Torna-se professora no Conservatória de Amesterdão, em 1948.

http://forgottenoperasingers.blogspot.com/2015/02/anna-el-tour-soprano-odessa-1886.html https://fr.wikipedia.org/wiki/Anna_El-Tour

(2) Leo Podolsky (Osessa, Ucrânia 1891-Los Angeles 1987) foi um pianista clássico e  professor/educador, autor de livros de música. Estudou no Conservatório de Cracóvia e, eventualmente, matriculou-se na Academia de Música de Viena, onde ganhou os prêmios Liszt e Anton Rubinstein. Podolsky fez sua estreia em Berlim em 1912. Fez cerca de 426 recitais (solo e com orquestras sinfónicas) na sua tournée pela Ásia e Pacífico (Java, Japão, China, Filipinas, Federação Malaia, Índia britânica, Burma, e Ceilão) e assume a direcção de departamento de piano em Indiana, , onde permanece 18 anos e depois em, 1926 ensina na faculdade de música em Chicago.

. https://en.wikipedia.org/wiki/Leo_Podolsky

Vera Mirova em 1927

(3) Vera Mirova refugiada russa bailarina de dança moderna, estudou dança plástica orientada por Elena Rabenek na Primeira Escola de dança moderna na Rússia, fundada depois da tour que Isadora Duncan fez à Rússia. Nos seus espectáculos (Europa, Siam, Borneu, Sumatra, etc) Mirova utilizava o estilo “free dances”, não usual na Ásia, sob a música de Debussy, Ravel e Prokofiev. Em Sumatra, actua em espectáculos com o pianista Leo Podolsky com quem se casa e ambos emigram para os EUA. Neste país, enquanto Podoslky ensina e toca piano, Mirova, torna-se especialista em danças javanesas, birmanesa, indiana (este) e torna-se famosa dança oriental. Em 1927 torna-se professora e artista de dança étnica em Chicago e Nova Iorque.

https://digitalcollections.nypl.org/items/a8298920-aef3-0136-e2ee-25a42be65e4a?featured=true

(4) GOMES, Luís G. – Efemérides da História de Macau, 1954

“A Tuna Académica de Coimbra (TAUC) e a Orquestra de Câmara Carlos Seixas, sob a direcção de Tobias de Lurdes Cardoso, (1) actuaram em Macau, em 1970. A caravana artística incluiu um Grupo de Fados e teve como acompanhante, em representação do Magnífico Reitor da Universidade de Coimbra em que era assistente da Faculdade de Direito, Dr. Francisco Lucas Pires. (2) A noite de luar (Agosto 16) proporcionou, no cenário especial do Jardim de Camões, um serão inesquecível. ” (3)

 (1) Tobias de Lurdes Cardoso foi maestro da TAUC de 1962 a 1968; 1969 a 1979 e 1981 a 1982. “É em 1962 que Tobias Cardoso, violinista da tuna e na época professor do Conservatório Regional, assume o lugar de maestro. Iria permanecer responsável artístico até 1980 (com uma interrupção em 1968 quando se deslocou a Salzburgo para estudar no Mozarteum e em que foi substituído por João Rodrigues) e desencadearia uma dinâmica artística que ainda hoje é motivo de orgulho para qualquer elemento da TAUC.” https://tunauc.wordpress.com/arquivo/bau-de-memorias/maestros-da-tauc/ https://amadora-sintra-editora.pt/produto/1970-ano-de-ouro/

(2) Francisco António Lucas Pires (1944 – 1998) foi um professor, advogado e político português. Licenciou-se em Direito, na Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra, em 1966, com 17 valores. Optando pela carreira académica, foi assistente e, mais tarde, professor da Faculdade de Direito de Coimbra. Lecionou também no Centro Regional do Porto da Universidade Católica Portuguesa. Foi director do departamento de Direito da Universidade Autónoma de Lisboa. Tendo aderido ao CDS no ano da sua fundação, após o 25 de abril de 1974, Lucas Pires foi um militante destacado, tendo sido deputado à Assembleia da República, eleito nas legislativas de 1976, 1979, 1981, 1983 e 1985, pelos círculos do Porto, Coimbra e Lisboa. https://pt.wikipedia.org/wiki/Francisco_Lucas_Pires

(3) SILVA, Beatriz Basto da – Cronologia da História de Macau, Volume III, 2015, p.368.

Dois marcadores de livro do Instituto Cultural do Governo da R. A. E. de Macau, publicitando (trilingue) a CONSERVATÓRIA DE MACAU – 澳門演藝學 MACAO CONSERVATORY, nomeadamente as escolas de teatro e de música.

Ambos com as maiores dimensões de 14,5 cm x 4,5 cm. (circular do topo: 3,5 cm diâmetro)

Conservatório de Macau – 澳門演藝學院

戲劇學校

ESCOLA DE TEATRO

SCHOOL OF THEATRE

“Saborear a Vida”

“ Sentir a alegria e tristeza, saborear a beleza e melancolia de uma vida “

音樂學校

ESCOLA DE MÚSICA

SCHOOL OF MUSIC

“Fazer uma Viagem Fantástica”

“A música que te acompanha a vida inteira, desde então, está cheio de alegria”

Continuação da leitura do livro “CHRONICA PLANETARIA (Viagem à Volta do Mundo) ” de José Augusto Correa, publicado em 1904 (1) e referido em anteriores postagens (2)

“21 de Junho – Ainda não vi cidade onde dois bairros façam tão profunda e radical diferença um do outro, como em Macau o bairro chinez do portuguez. O primeiro é perfeita e completamente oriental, caracteristicamente mongólico com o seu conjunto interessante, curiosíssimo, fantástico e nauseabundo. O segundo é, nem mais nem menos, uma das melhores cidades portuguezas de província, Braga, por exemplo, coma diferença, a favor de Macau, da limpeza e do mar. Em compensação, pelas tardes amenas e estivaes, quando a musica toca no Jardim Publico, a população feminina da Jerusalem do occidente encanta os forasteiros pela sua numerosa e brilhantíssima presença, ao passo que por uma formosa tarde e noite de Domingo, (3) em Macau, vi apeas uma dúzia de senhoras, se tanto, disputando às flôres dos alegretes, as harmonias musicaes e ao meigo astro da noite, a primazia na belleza do rosto, na meiguice e suavidade do olhar, no encantador donaire do porte e na melodia suprema que resulta da conjunção dos maravilhosos primores da natureza.

Effectivamente, as macauenses, tanto as filhas de portuguezes, nascidas em Macau, como as cruzadas de chinez e portuguez, são geralmente bonitas e perguntam com muita graça:

 – Como gosta de Macau?

– Infinito.

É uma resposta que mais lhes agrada.

(1) CORREA, José Augusto – Cronica Planetaria (Viagem à volta do mundo), 2.ª edição. Editora: Empreza da História de Portugal, Lisboa, 2.ª edição, 1904, 514 p. Illustrada com 240 photogravuras; 15,5 cm x 21 cm.

 (2) https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/jose-augusto-correa/ https://nenotavaiconta.wordpress.com/2020/07/04/leitura-chronica-planetaria-de-jose-augusto-correa-i/

(3) O «Boletim Official do Governo da Província de Macau» n.º 25 de 21 de Junho de 1902, na sua p. 208 apresenta o programa musical que a “Banda de música” da guarnição de Macau executou no dia 22 de Junho (Domingo), no Jardim de S. Francisco, das “8 ½ às 10 ½ hs p. m.”. O programa terminava sempre com o Hino Nacional.

Extraído de «O Correio Macaense», vol VI, n.º 15 de 24-05-1889, p. 2

Extraído de «BGM», IX-14 de 7 de Março de 1863, p. 54

Ver anterior referência em: https://nenotavaiconta.wordpress.com/2020/09/03/noticia-de-3-de-setembro-de-1864-concerto-no-teatro-d-pedro-v-pela-companhia-philarmoni-ca/