Archives for category: Macau no Exterior

Dois anúncios inseridos no jornal “Diário Popular” de 20 de Outubro de 1961, número especial dedicado ao Ultramar Português.
A  SOCIEDADE ORIENTAL DE FOMENTO LDA. com sede em Macau na Rua da Praia Grande n.º 63 tinha duas agências no exterior: em Dili (Timor) na Rua da Praya e em Hong Kong no “Mercantile Bank Building
 A “H. NOLASCO & CIA, LDA” tinha no exterior, agências em Lisboa (João Nolasco Lda. na Praça do Município n. 19-40), em Hong Kong (H. Nolasco & Co. Ltd. no “Ice House Street, n.º 10” e em Dili ( Sth Fl. Lif  Kin Joe, Ltd., Timor).

Extraído do BGC XV – 170/171, 1939.

Sobre este Governador ver referências anteriores em:
https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/artur-tamagnini-barbosa/

Extraído do «Portugal Colonial», n.º 31 Setembro de 1933
O Governador era António José Bernardes de Miranda, de 21 de Junho de 1932 a 4 de Janeiro de 1936. (1) De 29 de Fevereiro de 1936 a 19 de Dezembro desse ano esteve como governador interino, João Pereira Barbosa. Embora nomeado governador a 19 de Dezembro de 1936, Artur Tamagnini Barbosa (pela 3.º vez) somente assumiu no território esse cargo a 11 de Abril de 1937. Assim, de 19 de Dezembro de 1936 a 10 de Abril de 1937, António Joaquim Ferreira da Silva Júnior e depois João Pinto Crisóstomo estiveram como encarregados do Governo.(SILVA, Beatriz Basto da – Cronologia da História de Macau, Volume 4, 1977)
(1) Outras fontes para a data de exoneração: segundo informação na revista “Portugal Colonial ”n.º 55/56 de Setembro/Outubro de 1935 :
E na mesma revista, n.º 58 de Dezembro de 1935:

Extraído doe «As Colónias Portuguesas», Supplemento n.º 15 de 21 de Setembro de 1890.

Artigo de F. Alves de Azevedo (1) publicado no semanário “Bandarra” (2) e republicado no Boletim Geral das Colónias, XI-124, 1935, acerca de dois livros: de René Valande (3) e de Paul Morand (4)
(1) Francisco Alberto de Almeida Alves de Azevedo (1907-1992) conhecido como F. Alves de Azevedo, foi escritor, jornalista tendo colaborado em diversos jornais e revistas. Diplomado da Escola Superior Colonial, inseriu muitos artigos sobre assuntos coloniais nomeadamente na revista “Portugal Colonial” (1931-1937).
(2) “Bandarra” (1935-1936), semanário da vida portuguesa. Inicialmente dirigido por António Ferro.  Redactor principal: Pedro Corrêa Marques (a partir do n.º 40 com o jornalista Jorge Faria) Só foi publicado 43 números de 16 de Março de 1935 a 11 de Janeiro de 1936.
(3) René VALANDE (1886- 19??),  jornalista, colaborador da revista “L´Époque” em 1938. O livro «Comptoirs en Chine» compila os artigos sobre a sua viagem à China passando por Macau.Teve 4 edições entre 1935 e 1936, versão francesa e inglesa.
VALANDE, René – Comptoirs en Chine. Paris J. Peyronnet et cie éditeurs, 1935, 206 p.
(4) Paul Morand  em  1925
http://archiv.ucl.cas.cz/index.php?path=RozAvn/1.1925-1926/1/7.png
Paul Morant (1888-1976) – diplomata, académico francês, escritor, jornalista colaborador do jornal “Le Figaro”.
O livro «Rien que la Terre» (1.ª edição é de 1926) relata a viagem que o autor efectuou à volta do mundo partindo de barco de Nova-Iorque, passando por Vancouver, atravessando o Pacifico em direcção ao Japão (Yokohama, Quioto, Osaka…) depois China (Pequim, Shanghai, … Hong Kong, Macau) depois  Filipinas (Manila), Borneu, Tailândia (Bankok), Camboja, Ceilão, Adem Djibouti, Canal de Suez, Creta e terminou em Toulon.
https://fr.wikipedia.org/wiki/Paul_Morand 
Em 200o, foi publicado nova edição: MORAND, Paul – Rien que la Terre. Édité par Bernard Grasset, 2000, 224 p.,ISBN: 2246360528.

A nova draga «Almirante Carmona» 
A cábrea flutuante 

Cábrea flutuante: espécie de guindaste instalado em barco, ou outro dispositivo flutuante, para embarcar e desembarcar cargas. É utilizada para embarcar ou desembarcar grandes pesos sem necessidade de atracar o navio ao cais.
Extraído de BGC, XXVI –311, 1951.

Baixo-relevo do governador Ferreira do Amaral do escultor Maximiano Alves, (1) autor da estátua de bronze do mesmo governador, assente sobre pedestal em pedra, inaugurada em Macau, em 24 de Junho de 1940.
Este baixo-relevo esteve exposta em 1937, na Sala Militar durante a Exposição Histórica de Ocupação e I Congresso de História de Ocupação Portuguesa no Mundo. (2)


Estátua do Governador Ferreira do Amaral, em Macau (década de 60-século XX)
Slide da colecção “MACAU COLOR SLIDES” (3)

A estátua que representava Ferreira do Amaral, Governador de Macau no momento de luta contra os assassinos (realizada pelo escultor Maximiano Alves em 1935) foi transferida para Lisboa, e colocada, sem o plinto original da autoria de Carlos Rebelo de Andrade , no Bairro da Encarnação, em Dezembro de 1999.

Mesma estátua (sem o plinto) no Jardim da Encarnação, em Lisboa

(1) Maximiano Alves (1888 — 1954) foi um escultor português. Poderá ler mais sobre este escultor em:
https://pt.wikipedia.org/wiki/Maximiano_Alves
(2) Foto publicada em «BGC, XIII- 150 – 1937 »
Número dedicado à Exposição Histórica de Ocupação e I Congresso de História de Ocupação Portuguesa no Mundo
(3) Ver anteriores slides desta colecção em
https://nenotavaiconta.wordpress.com/category/artes/
NOTA: Existe uma réplica da estátua do escultor Maximiliano Alves feita pelo escultor Augusto Gil que poderá ver em:
http://augustocid.blogspot.pt/2011_04_01_archive.html