Archives for category: Filatelia

Foram emitidos e postos em circulação, pelos Serviços de Correios e Telecomunicações de Macau, a partir do dia 21 de Outubro de 2996, selos postais alusivos à emissão extraordinária «Papagaios de Papel», e um bloco filatélico. Os quatro selos emitidos, todos com a taxa de $ 3.50 patacas e o bloco filatélico com o valor de $ 8,00 patacas. (1)

Envelope (16 cm x 11,3 cm) com os quatros selos e carimbo

(1) Boletim Oficial de Macau de 14 de Outubro de 1996: Portaria n.º 256/96/M:

Programa das “COMEMORAÇÕES DO IV CENTENÁRIO DO COLÉGIO UNIVERSITÁRIO DE S. PAULO (1594-1994) ”, (1) com a sessão inaugural no dia 18 de Outubro a ser realizada no Salão Nobre do Leal Senado, seguida de inaugurações de exposições bibliográficas, documentais e fotográficas nos dias 15 e 16 de Novembro (respectivamente no Centro de Actividades Turísticas e Salão Nobre do Leal Senado), 29 de Novembro no Paço Episcopal, 22 de Novembro na Sala de Congressos do Centro de Actividades Turísticas e 9 de Dezembro no Salão Nobre do Leal Senado.

De 28 de Novembro a 1 de Dezembro decorreu um Simpósio Internacional “Religião e Cultura” e de 5 a 7 de Dezembro um Seminário Internacional “Os Estudos Superiores em Macau”, no Auditório da Universidade de Macau

No dia 30 de Novembro foi o dia de lançamento da edição de selos “Vitrais e Arte Religiosa”. A Missa solene de Acção de Graças foi no dia 1 de Dezembro com uma peregrinação a Sanchoão nos dias 2 e 3 de Dezembro.

Programa extraído da revista “ASIANOSTRA”, n.º2, Novembro de 1994, pp. 105-107

(1) 30-11-1594 – A “Casa da Companhia de Jesus”, onde já desde 1571 se ensinava a ler e escrever, bem como a língua latina, passou a denominar-se “Colégio dos Jesuítas”; ministrava a 60 alunos lições de Português e Latim, Artes, Casos e Teologia. A “Casa da Companhia” encontrava-se então instalada numa das casinhas térreas junto da ermida de St.º António. A Casa e o Colégio funcionaram distintamente até 1597, data em que passaram a ter um só Reitor, Pe. Manuel Dias Senior. A escola criada pelos jesuítas passou a categoria de “Colégio Universitário” a 1 de Dezembro de 1594 (SILVA, Beatriz Basto da – Cronologia da História de Macau, Volume I, 2015, p. 96)

1572 – Abertura de escola de primeiras letras, em português, a cargo dos jesuítas, em Macau. Em 1594, o ensino crescera até ao nível universitário com graus académicos para eclesiásticos e leigos. (Cfr. Monumenta Historica Japoniae, pp. 96 a 99) (SILVA, Beatriz Basto da – Cronologia da História de Macau, Volume I, 2015, p. 70)

Em anteriores postagens (1) (2) apresentei as diversas modalidades (folha lembrança, sobrescrito e bloco filatélico) da emissão no dia 9 de Outubro de 1989, pelos «Correios e Telecomunicações de Macau / CTT MACAU» de quatro selos com o tema “Meios de Transporte Tradicionais – Hidroaviões

Hoje apresento os quatro selos, sem carimbo, da autoria de Ng Wai Kim, individualizados da carteira constante na p. 75 do álbum “Da Sampana aos jactoplanador; Da Cadeirinha ao Automóvel”. (3)

50 avos – hidroavião + igreja da Penha; 70 avos – hidroavião + fortaleza da Guia; 2,8 patacas – hidroavião + barraca de pesca; 4 patacas –  hidroavião + junco chinês

Os aviões surgem apenas na primeira década do séc. XX. Inicialmente utilizados para fins bélicos, só no período que decorre entre as duas guerras mundiais se começa a desenvolver a aviação civil. (…). Nos anos 30, Macau vê aparecer os primeiros aviões civis. Eram os hidroaviões da Pan-American que faziam carreiras comerciais entre os Estados Unidos da América e Macau. Contudo, tais ligações iriam ter duração efémera, devido à Guerra do Pacífico. Entretanto, acabada a II Guerra, a era dos hidroaviões tinha passado.” (4)

(1) https://nenotavaiconta.wordpress.com/2016/10/09/noticia-de-9-de-outubro-de-1989-1-o-dia-de-circulacao-meios-de-transpor-tes-tradiconais- os «Correios e hidroavioes/  

(2) https://nenotavaiconta.wordpress.com/2019/10/09/noticia-de-9-de-outubro-de-1989-1-o-dia-de-circulacao-meios-de-transpor-tes-tradiconais-hidroavioes-ii/

(3) Da Sampana aos jactoplanador; Da Cadeirinha ao Automóvel, edição da Direcção dos Serviços de Correios e Telecomunicações de Macau, 1990, 114 p.

(4) Parte do texto de Jorge Cavalheiro, na pp. 72-73 do livro (3)

Catálogo (dobrável em sete partes de 25, 5 cm x 9,5 cm) bilingue, português e chinês de “Amostra Filatélica da R.P. China”, evento realizado pelo Instituto Cultural de Macau, em Outubro de 1985, durante a semana da cultura chinesa.

Foram expostas amostras filatélicas da R. P. C. : envelopes de 1.º dia de circulação emitidos entre 1979 e 1985; envelopes comemorativos entre 1981 e 1985; aerogramas comemorativos entre 1979 e1985 e maximafilia entre 1983 1985.

Folhas 1 e 2
Folhas 3 e 4
Folhas 5 e 6
Folha 7 e versão chinesa da mesma folha
Extraído de «BGU», n.ºs – 529/530, Jul/Ago, 1969, p. 196.
1 PATACA – Igreja e Convento de Nossa Senhora das Relíquias de Vidigueira

A Igreja e o Convento Carmelita de Nossa Senhora das Relíquias (Quinta do Carmo) é um dos monumentos mais importantes da vila de Vidigueira, do distrito de Beja. Foi aqui que Vasco da Gama foi condecorado como 1.º conde de Vidigueira. Os restos mortais do navegador vieram para a igreja deste convento, em 1539, e aí estiveram até à sua trasladação para o mosteiro dos Jerónimos, em 1880.

“O Convento de Nossa Senhora das Relíquias já de há muito não existe, pois foi extinto quando da abolição das ordens religiosas em 1834. Mas o edifício onde esteve instalado esse convento ainda hoje se conserva, embora adaptado a casa de habitação, e os terrenos que lhe estão adstritos constituem, já desde o século passado, a Quinta do Carmo, designação derivada do nome da ordem a que pertenciam os frades que aí tiveram residência. ” https://www.freguesiavidigueira.pt/index.php/patrimonio/antigo-convento-de-nossa-senhora-das-reliquias

No dia 18 de Novembro de 1987, os «Correios e Telecomunicações de Macau / CTT MACAU» emitiram e puseram em circulação selos postais alusivos à emissão extraordinária “Meios de Transportes Tradicionais – 1. º Grupo“ e um bloco filatélico. Trata-se de uma continuação da emissão de selos sob o tema “Meios de Transporte “ iniciado em 1984 com os “Barcos de Pesca” e terminado com os “Hidroaviões” (estes já publicados em anteriores postagens (1) (2)

Os quatros selos desta emissão são nos valores de 10 avos (carro de mercadorias), 70 avos (cadeirinha) 90 avos (riquexó) e 10 patacas (triciclo) (3)

Um dos meios de transporte mais antigo e comum usado na china e em Macau foi a cadeirinha portátil. Sustentada por dois varais compridos, era conduzida por dois homens, um colocado atrás e outro à frente. Foi usada principalmente nas cidades e no campo em pequenas distâncias. A cadeirinha foi durante a maior parte da história de Macau o meio de transporte mais importante e típico”. (4)

O Bispo de Macau tinha ao seu serviço quatro cadeirinhas, reservando uma para cada estação do ano. (5)

(1) https://nenotavaiconta.wordpress.com/2020/10/22/noticia-de-22-de-outubro-de-1984-filatelia-barcos-de-pesca/https://nenotavaiconta.wordpress.com/2017/10/25/noticia-de-25-de-outubro-de-1985-filatelia-barcos-de-carga/https://nenotavaiconta.wordpress.com/2020/08/28/noticia-de-28-de-agosto-de-1986-filatelia-1-o-dia-de-circulacao-meios-de-transporte-barcos-de-passageiros/https://nenotavaiconta.wordpress.com/2020/07/15/noticia-de-15-de-julho-de-1988-filatelia-meios-de-transportes-tradicionais-2o-grupo/https://nenotavaiconta.wordpress.com/2016/10/09/noticia-de-9-de-outubro-de-1989-1-o-dia-de-circulacao-meios-de-transpor-tes-tradiconais-hidroavioes/https://nenotavaiconta.wordpress.com/2019/10/09/noticia-de-9-de-outubro-de-1989-1-o-dia-de-circulacao-meios-de-transpor-tes-tradiconais-hidroavioes-ii/

(3) Portaria n.º 143/87/M de 9 de Novembro (BOM n.º 45, 1987, p. 2943) – Emite e põe em circulação selos postais e blocos alusivos aos “Meios de Transportes Terrestres Tradicionais”

(4) Texto de Jorge Cavalheiro in “Da Sampana ao Jactoplanador, Da Cadeirinha ao Automóvel”. Edição da Direcção dos Serviços de Correios e Telecomunicações de Macau, 1990, 114 p.

(5) “O palanquim do Bispo de Macau tinha janelas de vidro e decorado com madrepérolas. Não há nenhum que ouse ser tão belo ou que se lhe possa comparar “ «Ou-Mun Kei-Leok Monografia de Macau», tradução de Luís Gonzaga Gomes, Outubro de 1979, p. 228.

Anteriores referências a triciclos e riquexós em: https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/triciclos/ https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/riquexos/

No seguimento duma postagem anterior (1) em que os Correios de Macau (CTT) puseram em circulação em 7 de Novembro de 1994, selos postais alusivos à emissão extraordinária «Símbolos de Sorte», (2) hoje publico uma carteira (16,5 cm x 16,5 cm) em que contém no seu interior, um sobrescrito de 1.º dia (16,2 cm x 11,5 cm) com três selos (e as obliterações do 1.º dia), na parte superior, e outros três de iguais valores mas sem carimbos, na parte inferior.

Carteira (16,5 cm x 16,5 cm)
Verso da carteira

Selos: dimensões: 3 cm x 4 cm; 3 patacas, 3,5 patacas e 4,5 patacas.

Os desenhos são de Poon Kam Ling

SÍMBOLOS DE SORTE

“ … Os símbolos de sorte, também conhecidos por “desenhos de boa sorte”, são a arte final que exprime fantasiosamente o interesse e a adoração dos Homens pela maravilha da Natureza e pelas personagens célebres da História. São representados por diagramas ou por desenhos, havendo centenas de tipos de símbolos de sorte, distinguindo-se os muito conhecidos e estimados pelos chineses, que aparecem nas gravuras das festividades do Ano Lunar: o morcego, o pêssego, o velho da longevidade, a carpa, o nenúfar e as crianças, simbolizando a fortuna, a longevidade, a felicidade e a fecundidade.” Lap Lan Cheng Fân (traduzido para português por Lo Weng Un), retirado da pagela. (1)

(1) Pagela n.º 91 com os três selos e as obliterações do 1.º dia. https://nenotavaiconta.wordpress.com/2020/11/10/noticia-de-7-de-novembro-de-1994-filatelia-simbolos-de-sorte-i/

(2) Portaria n.º 208/94/M. no BO n.º 39, de 26 de Setembro, p.946

A Direcção dos Serviços de Correios, pôs em circulação, (1) a partir do dia 9 de Outubro de 2004 cumulativamente com as que estavam em vigor, uma emissão extraordinária de selos designada «Ciência e Tecnologia – Cosmologia XXI» constituída por 4 selos, (taxas – 1 ptc; 1.5 ptcs ; 2 pts; 3,5 ptcs) e um bloco filatélico com selo de 8,00 patacas. (2)
Autor: Daniel Dias

Dados Técnicos
Bloco filatélico n.º 069417, com um selo de 8,00 patacas, em papel com fibras ópticas
Formato: 90 x 138 mm.
4 Selos, (taxas – 1 ptc; 1.5 ptcs ; 2 pts; 3,5 ptcs)
Papel com fibras ópticas. Formato: 40 x 30 mm.


(1) Despacho do Chefe do Executivo n.º 208/2004, B.O. n.33/2004 de 16-08-2004, p. 1512

(1)Extraído de «Álbum Selos de Macau: Carteira Anual 2004» p. 9.

Em anterior postagem (1) publiquei o envelope grande (formato C5) e a pagela, referente à emissão pelo «Correios e Telecomunicações de Macau/ CTT »  do sobrescrito do 1.º dia de circulação (selos e carimbo) dos XI Jogos Asiáticos de 1990 que se realizaram em Beijing, no período de 22 de Setembro a 7 de Outubro de 1990.

Sobrescrito – formato C6 – frente e verso (com o logótipo dos C.T.T.)

Hoje apresento o envelope pequeno – C6 (114 x 162 mm) – sobrescrito de 1.º dia de circulação com o motivo e obliteração de 1.º dia – com os selos: 80 Avos – ciclismo; 1 Pataca – natação; 3 Patacas – judo; 4,20 Patacas – tiro e os seis selos sem carimbo.

Os desenhos são de Ng Wai Kim

Seis Selos – sem carimbo (9,5 cm x14 c ) – 15 ptcs – n.º 33483

(1) https://nenotavaiconta.wordpress.com/2016/09/22/noticia-de-22-de-setembro-de-1990-jogos-asiaticos-1990/  

Duas capas iguais, (uma numerada com 3, outra com 4; o que pressupõe ser de uma coleção de 4, pelo menos), emitidas pelo Correios e Telecomunicações de Macau, ano ?

CAPA – 31 cm x 18,2 cm
Contracapa – 31 cm x 22,4 cm