Archives for category: Casas Comerciais

Saco comercial de plástico de 47 cm x 34,5 cm, com pegas de plástico branco. Fundo de cor branca, design igual nos dois lados, variando somente nas cores.

Dum lado, letras a amarelo com a publicidade ao “BENFICA ARTIGOS DESPORTIVOS” a verde
Do outro lado o mesmo design com as letras a verde e a faixa do  “BENFICA ARTIGOS DESPORTIVOS”, a amarelo

A loja “Benfica” de venda de artigos desportivos ficava na década de 80 (século XX), no Edifício Nam Kwong, na Avenida do Dr. Rodrigo Rodrigues, no 1. º Andar – F, numa área comercial denominada Rua de Compras -購物街 (1)

奔飛家 (2) – BENFICA ARTIGOS DESPORTIVOS 體育用品 (3)

(1) 購 物 街mandarim pīnyīn: gòu wù jiē ; cantonense jyutping: gau3 mat6 gaai1; mandarim pīnyīn: cháng ; cantonense jyutping: coeng4

(2) 奔飛家mandarim pīnyīn: bēn fēi jiā ; cantonense jyutping: ban1 fei1 gaa1

(3) 體育用品mandarim pīnyīn: tǐ yù yòng pǐn; cantonense jyutping: tai2 juk6 jung ban2     

LADO A em inglês
LADO B em chinês

Saco de plástico de cor preta (43 cm x 35 cm) e letras douradas, da década de 80/90 (1) da loja que estava (e ainda está) localizada no Hotel Lisboa (Macau), rés do chão. Tel: 84045

JEWELARTS “Indian Emporium”

“House of: “Exclusive Gifts, Gems, Indian Jewellery, Ivory Jewellery, andal Wood Carvings, Tapestries, Evening Bags, Old Tankas, Watches, Carpets, Marble Inlaio, Paintings, Antiques, Etc.”

(1) “Indian Emporium Ltd” – Tel 28384045

Anúncio 2016

Vários anúncios, todos do ano de 1932 da empresa de importação e exportação: K. C. POON & CA. , Importadores e Exportadores , na Avenida Almeida Ribeiro n.º 94, MACAU (China). Endereço Tel: KAMCHUEN

Esteve em actividade na década de 30 (no Anuário de Macau de 1940 já não estava listada nos “Importadores e Exportadores”)

Chá da China, Artefactos de malha, Leques, curiosidades Chinesas, Artigos de Prata, Sedas Cruas, Malas e Comodas de Canfora – Fogos de Artifício – Pivetes Insecticidas – Conservas doces de Gengibre e Chowchow

Encarregam-se de encomendas para o Estrangeiro, Portugal e Colónias de artigos da China de toda a espécie e qualidade

– PEDIR AMOSTRAS E FOTOGRAFIAS –

Especialidades: – Bordados de Linho, Meias e Peugas de Seda e de Algodão, Bordados de Seda, Colchas, Mantos, Tintas de Nanquim, Calçados, Louças da China, Artigos de Cobre Lavrados, Artigos de Marfim, Artigos de Xarão, etc.. etc..

Colcha de sêda bordado

Bordados de sêda, Bordados de linho, Leques de sêda bordados, Sêdas cruas, Louças da China, Artigos de xarão e varios outros artigos de origem chinesa.

Jarras de louça da China; Mala de canfora coberta de couro

K. C. POON & CIA. Importadores e Exportadores de Calçado – Avenida Almeida Ribeiro n.º 94, MACAU (ASIA) – Endereço Tel: Kamchuen – Caixa Postal n.º 57

Encarregam-se de encomendas para o Estrangeiros, Portugal e Colónias de artigos da China de toda a especie e qualidade. Pedir Amostras

Um recibo de compra (N.º 14273) de um relógio (CASIO) por 110 patacas no dia 26 de Janeiro de 1986, da relojoaria «Tai Fung Watch Co» (1)

A relojoaria existente na Avenida Almeida Ribeiro, n.ºs 310-316, inaugurada pelo Comendador Ho Yin, na década de 50, foi pioneira,na altura em que não havia, em Macau, no sector de comércio, lojas especializadas na venda de relógios de marcas de fábricas famosas em vários países (como por exemplo Tudor, Rado, Seiko, Casio, etc.)  

(1) 大豐表行 – TAI FUNG WATCH CO 澳門新馬路310-316號地下 Avenida Almeida Ribeiro 310-316, R/C, Macau Tel: +853 2837 5155 – +853 2831 2868

Porta-Moedas oferecida pela ourivesaria «Tin Seng», situada na Rua das Estalagens n.ºs 41-43 (TEL: 572280 – 577542)

LADO A
LADO B 

A ourivesaria foi inaugurada em 1919 (na mesma família, neste momento, a 3.ª geração) e é presentemente uma das mais antigas ourivesarias em funcionamento em Macau.

Pormenor do LADO A
Pormenor do LADO B
LADO A
LADO B

Pesquisando nas páginas amarelas “Macau Yellow Pages”, (1), a ourivesaria Tin Seng Hap Kei –  天盛金舖 permanece na mesma morada, “Rua das Estalagens n.º 41-45 r/c; tel: 28921919 (2)
Tem actualmente a uma outra loja com o mesmo nome na Avenida de Horta e Costa 90 – A,  r/c; tel: 28921919
(1) https://en.yp.mo/business/Ourivesaria_Tin_Seng.html
(2) 天盛合記金行 – Tin Seng Gold Jewelry Shop – 澳門草堆街41-45號地下 ——28921919 是
https://macaulifestyle.com/city-guide/tin-seng-gold-jewellery-shop/

Este anúncio, publicado no “Directório de Macau de 1932” é semelhante ao anúncio de 1934 que apresentei em anterior postagem sobre esta mesma «Leitaria/Vacaria Macaense» (1)
O “Clube de Corridas de Galgos de Macau” (“The Macao Greyhound Racinc Club”) foi fundado em 28-09-1932 (2) com o objectivo realizar corridas de galgos para entretimento / divertimento. As corridas duraram até 1936 quando foram suspensas.(3)
(1) Ver anteriores referências a esta Leitaria/Vacaria em:
https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/leitaria-vacaria-macaense/
(2) “Em 1932, um grupo de chineses e americanos organizam em Macau a «Associação de Corridas de Cães de Macau» e fazem construir um canídromo. A inauguração do espaço foi um acontecimento importante, a que não faltou o concurso de uma orquestra feminina, composta de 22 raparias americanas, com vistoso uniforme. Mas o preço das entradas, muito elevado para o nível médio de vida, não permitiu a manutenção do espectáculo que acabou em 1936. Em substituição das corridas de cães, o espaço do canídromo foi transformado em parque de diversões (ópera, acrobacia, jogo) assim se mantendo até cerca de 1940. Em 1940, o Governo de Macau transforma o espaço do canídromo no «Campo Desportivo 28 de Maio“. (SILVA, Beatriz Basto da – Cronologia da História de Macau, Volume 4, 1997)
“In 1932, greyhound racing was first introduced to Macao by Fan Che Pang (范潔朋) and a group of overseas Chinese and Americans, who later formed the “Macao Canine Club” and built a greyhound racing stadium, which is now the “Yat Yuen Canidrome”.  However, this newly introduced game was not truly popular at that time. The business stopped operating several years after until it was reopened in September 1963
http://www.dicj.gov.mo/web/en/history/
(3) Ver anteriores referências ao Canídromo
https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/canidromo/

Mais dois anúncios da casa comercial Po Man Lau (livraria/papelaria/fotografia/ agente de máquina de escrever/tipografia, etc.)  já referida em postagem anterior (1). Estes anúncios têm um intervalo de 10 anos, 1922 e 1932.

ANÚNCIO DE 1922
ANÚNCIO DE 1932

(1) https://nenotavaiconta.wordpress.com/2012/04/11/anuncio-casa-po-man-lau/

Um pequeno envelope (12 cm x 9 cm) do estabelecimento/estúdio de fotografia – Foto Fu Choi -富才攝影 que estava na Rua do Brandão n.º 3 A r/c (Tel: 308325), n.º 1510,  de 28 de Fevereiro de ????.
Creio que estavam no seu interior 12 fotografias pequenas do tipo passe que nessa época eram necessárias para todo o tipo de documentação (bilhete de identidade, salvo-conduto, matrícula escolar, etc)
富才攝影– mandarim pīnyīn: fù cái shè yǐng; cantonense jyutping: fu3 coi4 nip6 (sip3) jeng2
富才婚紗攝影 – mandarim pīnyīn: fù cái hūn shā shè yǐng; cantonense jyutping: fu3 coi4 fan1 saa1 nip6 (sip3) jeng2

Saco de plástico com uma pega, de 45 xm x 33 cm da loja comercial “SAM TÓ CO” (tecidos) que ficava na Avenida Almeida Ribeiro n.º 15

Idêntico design em ambos os lados

Nessa morada e anterior à “Sam Tó”, estava o Bazar Bombaim “Bombaim Bazar” cujo proprietário era o indiano “Cheng Du”, vítima indirecta da invasão de Goa, Damão e Diu em 1961 pela União Indiana (1) pois foi-lhe confiscado a loja comercial e expulso de Macau (na altura, falava-se em mais 5 indianos comerciantes em Macau). Também os guardas mouros que estavam na Polícia foram dispensados e expulsos de Macau. O Cheng Du ficou em Hong-Kong onde terá reiniciado a sua actividade comercial.
(1) “17/18-12-1961 – Invasão de Goa Damão e Diu pela União Indiana que avança com um exército de cerca de 50 000 homens. Os resistentes, isolados há muito, são cerca de 3 500; rendem-se a 19 e ficam prisioneiros durante 6 meses. Alguns vêm a estabelecer-se em Macau, sendo repatriados para Lisboa, em 3 navios nacionais, aqueles que o desejarem. A ocupação militar dos territórios de Goa, Damão e Diu ditará a transferência do Tribunal da Relação de Goa para Moçambique, o que afecta naturalmente Macau por ver aumentada a distância a que ficará desse centro de decisão” (SILVA, Beatriz Basto da – Cronologia da história de Macau, Volume 5, 1998)

“O Correio Macaense“, V-230 de 17 de Fevereiro de 1888

A “Herbert Dent & Ca.” foi uma empresa em Macau ligada a negócios com a China (seda, chá e  ópio) e por isso, como agentes, ligada às companhias seguradoras e empresas de navegação.
O representante em Macau era D. da Roza (muito possivelmente Daniel Francisco António Campos da Rosa.(1)
A empresa , em 1888, estava na Rua da Sé; em 1910 na Rua dos Prazeres n,º 2 e 4
Em 1910, apresentava-se em Macau como:
No mesmo ano, em Cantão
Herbert Fullartoon Dent foi baptizado a 5 de Fevereiro de 1849 (Londres). Faleceu a 6 de Fevereiro de 1920 com 71 anos de idade. Foi Comissário das alfândegas chinesas (sedas e chás) e fundador da companhia “Herbert Dent and Company”, para comércio com a China (principalmente com o ópio que introduzia em Cantão). Vivia com a família entre Cantão e Macau.(2)
Herbert Fullartoon Dent é da família DENT que fundou “Dent & Co.”  ou “Dent’s” que foi uma das maiores firmas britânicas (rival directa das outras duas mais conhecidas, a «Jardine, Matheson & Co» e a «Russell & Co.»), que com o comércio do ópio com a China, levaram à entrega de Hong Kong e onde depois sediaram e prosperaram.
O seu antepassado Thomas Dent foi o  fundador da firma . Chegou a Cantão em 1823 e com o sócio fundaram a «Davidson & Co».  Em 1824, Davidson saiu e a firma passou a denominar-se “Dent & Co.”. A firma “Dent & Co.” foi à falência em 1867. (2)

“The London Gazette, 9 September, 1921”

Herbert Dent adquiriu o Palacete de Santa Sancha em 1893, aos herdeiros do Barão do Cercal (neta) após o falecimento da Viscondessa do Cercal (em 16 de Dezembro de 1892.) por 8.000 patacas.
Em 1896, teve um processo entre a Administração e o proprietário, Herbert Dent, processo esse que envolveu a Direcção Geral das Obras Públicas, que não cedia que o proprietário murasse a propriedade.
A 28 de Janeiro de 1923, William Herbet Shelly Dent, filho de Herbert Dent vendeu essa propriedade ao Governo de Macau (governador Rodrigo José Rodrigues) por $32.500. Nesse ano 1923, um tufão provocou estragos consideráveis, levando à execução de obras no palácio.

A Chácara de Santa Sancha vista da Penha – c. 1925

(1) Daniel Francisco António Campos da Rosa (1850-1916), comerciante de chá e cônsul de França em Foochow (China). Faleceu em Macau na sua casa da Praça Lobo de Ávila.
FORJAZ, Jorge – Famílias Macaenses, Vol III, 1996
(2) http://www.thepeerage.com/p3627.html