PEREIRA , A. Marques – Ephemerides Commemorativas da História de Macau e das Relações da China com os Povos Christãos, 1868.

“8-12-1830 – O Suntó de Cantão ameaçou, por Edital, expulsar para Macau qualquer mulher estrangeira que, contra as leis do Império fosse levada para Cantão, devendo igualmente ser expulsos para os seus países os navios estrangeiros que desobedecessem a tal ordem. Esta ordem foi repetida várias vezes.” (SILVA, Beatriz Basto da – Cronologia da História de Macau, Volume II, 2015, p. 59)

08-12-1830 – Em 8 de Dezembro, o mesmo Mandarim repetiu este Edital, ordenando às autoridades do litoral que não deixassem passar mulher alguma e que fizessem fogo contra qualquer que desobedecesse. Os chineses receavam que os negociantes europeus, tendo consigo as famílias, passassem a tornar permanente a sua residência nas feitorias e fossem aumentando de número, de forma a constituírem, no futuro, uma colónia numerosa e pouco dócil. (SILVA, Beatriz Basto da – Cronologia da História de Macau, Volume II, 2015, p. 58.