Para realizar estudos sobre a lepra em Macau chegou a ao Território , no dia 8 de Março de 1982, um consultor do Organização Mundial de Saúde, o médico espanhol L Lopez Bravo. O especialista que permaneceu cerca de duas semanas com patrocínio da OMS, orientou cursos para médicos e enfermeiros sobre a doença de Hansen.(1) Na Gafaria de Ká Hó existiam nessa altura 140 internados que padeciam de lepra, embora o número de doentes em Macau fosse maior. Com efeito a gafaria encontravam-se internados apenas os doentes que ofereciam risco de contágio. Os pacientes que apresentavam casos menos graves, e à semelhança do que acontecia na generalidade dos países, não são internados, sendo tratados em regime de consulta externa (“Macau82 jornal do ano“, GCS, 1982, p. 55)

(1) Lepra, doença de Hansen ou hanseníase é uma infeção crónica causada pelas bactérias Mycobacterium leprae ou Mycobacterium lepromatosis. Atinge, de forma majoritária, a pele e alguns nervos periféricos, fazendo com que o paciente perca, por exemplo, a força muscular e a sensibilidade táctil e à dor.

Anterior referência a esta doença: https://nenotavaiconta.wordpress.com/2021/12/28/leitura-macau-1982-retrato-da-hanseniase/