Saco de plástico com uma pega, de 45 xm x 33 cm da loja comercial “SAM TÓ CO” (tecidos) que ficava na Avenida Almeida Ribeiro n.º 15

Idêntico design em ambos os lados

Nessa morada e anterior à “Sam Tó”, estava o Bazar Bombaim “Bombaim Bazar” cujo proprietário era o indiano “Cheng Du”, vítima indirecta da invasão de Goa, Damão e Diu em 1961 pela União Indiana (1) pois foi-lhe confiscado a loja comercial e expulso de Macau (na altura, falava-se em mais 5 indianos comerciantes em Macau). Também os guardas mouros que estavam na Polícia foram dispensados e expulsos de Macau. O Cheng Du ficou em Hong-Kong onde terá reiniciado a sua actividade comercial.
(1) “17/18-12-1961 – Invasão de Goa Damão e Diu pela União Indiana que avança com um exército de cerca de 50 000 homens. Os resistentes, isolados há muito, são cerca de 3 500; rendem-se a 19 e ficam prisioneiros durante 6 meses. Alguns vêm a estabelecer-se em Macau, sendo repatriados para Lisboa, em 3 navios nacionais, aqueles que o desejarem. A ocupação militar dos territórios de Goa, Damão e Diu ditará a transferência do Tribunal da Relação de Goa para Moçambique, o que afecta naturalmente Macau por ver aumentada a distância a que ficará desse centro de decisão” (SILVA, Beatriz Basto da – Cronologia da história de Macau, Volume 5, 1998)