Continuação das postagens: “MACAU RETROSPECTIVA I”, “II” e “III” (1), nomeadamente na apresentação do terceiro postal dos quatro emitidos com o mesma tema,
As referências iconográficas são da autoria de Luís Sá da Cunha e foram extraídas do documento dos CTT explicativo da emissão (pagela).
QUADRO III – POSTAL – SELO DE 2.00 patacas
MACAU, A ALDEIA GLOBAL
“Nas suas épocas mais florescentes, Macau foi porto de todos os comércios, materiais e espirituais. De todos os quadrantes, o mundo todo foi aqui convocado. Parafraseando Fernando Pessoa, Macau foi todo o mundo a sós. Foi miniatura do mundo global a vir. Essa a sua grandeza rara.
Na sua dimensão antropológico-cultural, Macau espelhou essa confluência de matrizes e influências, culturalmente resolvida em termos de Civilização e antropologicamente operada em hibridismos complexos. Houve, em Macau, solução universalizante.
As sínteses seculares do encontro e convívio de diversidades culturais e genéticas tiveram aqui o seu fundamental pressuposto – o espírito e a prática da tolerância.
Na sua genética biotipológica e na sua endogenia cultural, o macaense, ou “filho da terra”, é a máxima encarnação da mensagem universalista aqui protagonizada por gerações ao longo das (sic) séculos gerações ao longo das (sic) séculos.”

Verso do postal – BP- MACAU – 86

1) https://nenotavaiconta.wordpress.com/2018/12/19/noticia-de-19-de-dezembro-de-1999-filatelia-macau-retrospectiva-i/
https://nenotavaiconta.wordpress.com/2019/01/09/postal-i-filatelia-macau-retrospectiva-ii/
https://nenotavaiconta.wordpress.com/2019/01/12/postais-ii-filatelia-macau-retrospectiva-iii/