No dia 26 de Maio de 1885: “O hospício de Kao hó está já prompto a receber mulheres leprosas ….”, informa o Administrador das Ilhas à Secretaria do Governo. Entretanto foram já instaladas, entre 30 de Abril de 3 de Maio as mulheres lázaras da Ilha de João, satisfazendo ordens do Governo. As instalações estavam boas e prova disso foi o roubo perpetrado por cerca de 12 piratas armados de «taifós e pistolas», em Setembro desse ano, aliviando as pobres leprosas de toda a roupa de inverno e do abastecimento de arroz para meio mês (160 cates), além de 7 patacas em dinheiro, fugindo pela praia, num pequeno sapatião perdido na noite. E não foi só dessa vez, porque sabiam o lazareto provido e indefeso.
TEIXEIRA, P. Manuel – Taipa e Coloane, 1981.
TAIFÓ – Espada/adaga chinesa, curta e muito afiada.
SAPATIÃO – barco chinês, pequeno e ligeiro.
Segundo Sebastião Rodolfo Dalgado, no seu «Glossário luso-asiático»:
TAIFÓ: julga o Sr.Pelliot que esta palavra não se pode ligar ao chinês tai-to (em mandarim ta-tao), «grande faca» mas que deve provir dalgum nome cantonês, em mandarim ch´u-ang-tu ou ch´uang-kien.
SAPATIÃO: o Sr. Pelliot prefere derivar o vocábulo do chinês sam-pang-ting, «barco sam-pan ou cham-pana»
Ver referências anteriores em:
https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/leprosaria-de-ka-ho/
https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/leprosarias-lazaretos/