A atriz francesa Jeanne Moreau, (1) faleceu no dia 31 de Julho de 2017. Actriz em mais de 130 filmes, muitos deles inesquecíveis: “Ascenseur pour l’Échafaud” (1958) e “Les Amants” (1958) de Louis Malle; “Les quatre cents coups” (1959) e “Jules et Jim” (1962) de François Truffaut); “Eva” (1962) de Joseph Losey; “Le journal d’une femme de chambre” (1964) de Luis Buñuel;  “Faltaff – Chimes at Midnight “ (1965) de Orson Welles; “Querelle” (1982) de R. W. Fassbinder; entre muitos outros.
Recordo-a na participação do filme com referências a Macau (embora não filmado em Macau) de Orson Welles de 1968, “História Imortal” (” The Immortal Story”) (2)
Embora não seja uma das suas melhores interpretações, recordo-a aqui com o folheto de cinema do Teatro Nam Van, um dos seus filmes de 1965, “Viva Maria”, uma comédia de produção norte americana, filmado na quase totalidade no México, ao lado de Brigitte Bardot e George Hamilton, e dirigido por Louis Malle. (3)
O filme estreou-se neste Teatro “a começar em 1 de Julho de 1966” (espectáculo para maiores de 17 anos).

Brigitte Bardot e Jeanne Moreau, duas actrizes mais populares do cinema francês numa cena de “Viva Maria”, uma paródia numa revolução mexicana.

Verso do folheto publicitando o próximo filme

(1) Jeanne Moreau (1928-2017)
O seu penúltimo trabalho no cinema foi com Manoel de Oliveira, no papel de Candidinha em “O Gebo e a Sombra” (2012).
(2) “The Immortal Story“, filme (média metragem- 58 minutos) francês (Une histoire immortelle) de 1968, dirigido por Orson Welles (o mais curto filem dirigido por Welles) feito originalmente para a televisão francesa, a partir de um conto da escritora dinamarquesa Isak Dinesen (Karen Blixen), com argumento do próprio Orson Welles e de Louise de Vilmorin, posteriormente distribuído em cinemas. Welles interpreta o misterioso e rico comerciante Charles Clay, que no final da sua vida, na colónia portuguesa de Macau no século XIX, (no conto da autora Isak Dinesen, localizava o rico comerciante em Cantão) decide tornar realidade uma lenda de marinheiros, um homem que paga cinco guinéus a um marinheiro para passar uma noite com a sua jovem esposa para lhe dar um herdeiro. Assim Charles Clay que não tem herdeiros para a sua fortuna, com a ajuda do seu único funcionário/escriturário, o polaco imigrante chamado Levinsky procura no cais um marinheiro que aceite uma generosa oferta para passar a noite, com Virginie (Jeanne Moreau), amante doutro colega escriturário (um acordo de 300 moedas) para concretizar a lenda.

Cena do filme “The Immortal Story”

Ver anterior referência em
https://nenotavaiconta.wordpress.com/2012/09/05/leitura-macau-cinemateca-portuguesa/
(3) Jeanne Moreau ganhou o prémio  BAFTA de melhor actriz estrangeira, na categoria comédia, por este filme.
Trailers do filme “Viva Maria
https://www.youtube.com/watch?v=QNSSu3vLEas
https://www.youtube.com/watch?v=vZJl2y5ilDk
https://www.dailymotion.com/video/xywp5g