jean-meares-vista-de-macauVue de la Ville de Macau
gravura; 30 x 53 cm

Vista da Cidade de Macau incluída na Vista setecentista da cidade de Macau, incluída numa obra (1) exclusivamente compostas de cartas geográficas, planos, vistas e retratos alusivos à s viagens de exploração do Capitão John Meares, (2) que o levaram de Calcutá à costa Noroeste da América (1786-1787) e ao longo desta costa (1788-1789).
jean-meares-vista-de-macau-i

 

jean-meares-vista-de-macau-ii

Na gravura esquerda , visualiza-se a Colina da Penha e a Fortaleza de Bom Parto.
Na gravura à direita, no fundo, a Colina da Guia e a Fortaleza . Na base, a Fortaleza de S. Francisco

Na mesma obra outras duas gravuras de locais próximas de Macau

jean-meares-bocca-tigris

Vue de l´entrée do Bocca Tigris
jean-meares-pic-de-lantauPic de Lantao

(1) Esta gravura foi retirada de “Collection de cartes géographiques vues, marines, plans er portraits, relatif aux voyages du Captaine J. Meares.” Esta colecção é uma tradução da versão original inglesa de 1790, feita por John Meares Billecooq.
jean-meares(2) John Meares (c 1756-1809), navegador, explorador, comerciante. Alistou-se em 1771 como ajudante do capitão e permaneceu na “Royal Navy” até 1783. Tornou-se mercador e em 1785 estava na India negociando com a China peles de lontra marinhas Como a “The East India Compnay” tinha o monopólio do tráfico no Pacífico e todos os mercadores ingleses tinham que ter licença e pagar taxas, Meares para ultrapassar a sua actividade “ilegal” registou os seus navios em Macau utilizando a bandeira portuguesa para continuar os seus negócios. Partiu de Calcutá em 12 de Março de 1786 para explorar (e comerciar) parte da costa do Alasca permanecendo todo o inverno de 1786-1787. Em 1788 nova expedição em dois barcos, sob bandeira portuguesa, registados com os nomes “Feliz Aventureira” e “Efigenia Nubiana”.
Para quem estiver interessado sobre a vida deste “aventureiro”, está disponível em:
https://en.wikipedia.org/wiki/John_Meares.