Anúncio publicado na imprensa  em 1950, pela Firma «F. Rodrigues (Suc.res) Lda.» que neste mês comemora os 100 anos da sua actividade comercial.
Este anúncio promovia o material  considerado na altura como tecnologia de ponta: a máquina de escrever

ROYAL
A Campea de Velocidade Mundial

anuncio-de-1950-f-rodrigues-maquina-de-escrever-royalO agente em Macau era a Firma F. Rodrigues (Suc. res) Lda, na Rua da Praia Grande n.º 71; Endereço telegráfico “RODRIGUES”; Caixa Postal n.º 2 e Telefones: Escritório  N.º 658 e  Residência N.º 636.
As primeiras máquinas de escrever (ou máquina dactilográfica – equipamento mecânico ou electromecânico e depois electrónico) produzidas foram as manuais, com accionamento mecânico das teclas. Posteriormente, surgiram as electromecânicas, com base de funcionamento mecânico, auxiliado por um motor eléctrico para diminuir o esforço e dar maior agilidade na escrita. Finalmente, surgiram as electrónicas, com accionamento dos tipos em margaridas ou esferas, capazes de alcançar melhor velocidade e qualidade de impressão, além da possibilidade de correcção dos erros, com fitas correctivas (1)
As máquinas de escrever «Royal» foram fabricadas (2) originalmente no início do século XX por E.B. Hess. A primeira máquina de escrever «Royal» foi, posteriormente, substituídas por dois outros modelos, as máquinas de escrever «Royal 5» e «Royal 10». Mais tarde, foram criados vários modelos da «Royal» e, mesmo sendo populares, não são muito valorizados como peças para coleccionadores. A identificação de uma máquina de escrever «Royal» não é difícil, pois existem várias características que as distinguem de outras máquinas de escrever. (3) A «Royal» no início dos anos 50  redesenhou suas máquinas pós 2.ª Guerra Mundial, incluindo a inserção da tecla “shift”,  tornando a máquina com estilo mais moderno e mais competitiva com uma linha apresentadas pelos concorrentes.(4)
(1) http://www.fedesigner.com.br/site/lorene/layoutv2.swf
(2) “The Royal Typewriter Company was founded in January 1904 in a machine shop in Brooklyn, New York, by Edward B. Hess and Lewis C. Myers. In March 1906 the first Royal typewriter, the Royal Standard, was sold. World War II brought tremendous change to Royal. In order to aid the war effort, Royal converted its manufacturing to war work exclusively. Royal would manufacture machine guns, rifles, bullets, propellers, and spare parts for airplane engines. It wouldn’t be until September 1945 that Royal would start typewriter production full-time again and not until December 1948 that Royal would catch up on its pre-war backlog. Em 1949 saiu a Royal KMG com extra long carriage, manual (não portátil). In February 1950, Royal introduced its first electric typewriter.
https://en.wikipedia.org/wiki/Royal_Typewriter_Company
(3) As «Royal» clássicas são totalmente pretas, excepto pelas letras. Todas as máquinas de escrever «Royal» fabricadas antes de 1950 eram pretas. A única excepção é o modelo «Royal Quiet De Luxe Gold», que era dourado e brilhante nas laterais, com as outras partes na cor preta. Depois de 1950, a cor da máquina mudou várias vezes e podia ser marrom, azul, cinza ou verde-oliva.
http://www.ehow.com.br/identificar-maquina-escrever-royal-como_4910/
(4) http://www.typewritermuseum.org/