Espectáculo para maiores de 17 anos, este filme estreado no dia 9 de Junho de 1961,  no Teatro Apollo, é um dos clássicos filmes de horror dos Estúdios da “Hammer Film Productions”, de 1960.

APOLLO 9JUN1961 - Two Faces of Dr. JekyllTHE TWO FACES OF DR. JEKYLL
SINISTER! SAVAGE!
Every woman his prey !
He committed every sin in the book

CARTAZ 1960 The two faces of Dr. JekyllDirigido por Terence Fisher e argumento de Wolf Mankowitz baseado na obra-prima de Robert Louis Stevenson (1) publicado em 1886: “O Estranho Caso de Dr. Jekyll e Sr. Hyde“, (2), tem no papel de Dr. Jekyll, o actor Paul Massie. De salientar a presença de Christopher Lee no papel do batoteiro Paul Allen.(3)
Esta versão de Terence Fisher segue nitidamente a obra de Stevenson: o problema da dupla personalidade que vive dentro de nós próprios.
Trailers:
https://www.youtube.com/watch?v=zL8F4eHOOvM
https://www.youtube.com/watch?v=BmcgKQrwxrA

APOLLO 9JUN1961 - Two Faces of Dr. Jekyll- versoCARTAZ 1958 Beautiful but badPRÓXIMA MUDANÇA: um filme de Mylene Demongeot, (1935) actriz francesa que começou a carreira em 1955, mais conhecida a partir de 1958 com o filme “Bonjour tristesse” de Otto Preminger. Nesse ano fez também, este filme francês, título original: “Sois Belle et tais-toi” , de Marc Allégret. Traduzida e distribuída para o público inglês como “Be Beautiful But Shut Up” ou  “Beautiful But Bad“. Participam ainda os actores, então jovens no início das carreiras,  Jean-Paul Belmondo , com 25 anos e Alain Delon com 23 anos.
(1) Não esquecer que Robert Louis Stevenson é um dos grandes criadores da novela de aventuras; publicou antes, em 1883, o livro : “A Ilha do tesouro” (Treasure Island)
(2) A carreira cinematográfica de “Jekyll e Hyde” inicia-se mal o cinema foi inventado. Assim a 1.º versão terá sido em 1908. A partir daí mais de 50 adaptações conhecidas , mais ou menos fiéis ao livro, umas mais terríficas-fantásticas, outras mais psicológicas, outras ainda do género cómico, ou  satírico (como a a versão de Jerry Lewis de 1963). Dentro das adaptações livres está  uma muito elogiada pela crítica de então, em 1920, do alemão  F. W. Burnau (“Der Januskopf”), infelizmente cópia desaparecida.
Das adaptações mais afamadas: a de  1920 de John Stuart Robertson com o actor John Barrymore (uma das melhores interpretações deste actor, atendendo à época em que foi filmada quase sem usar maquilhagens ou máscaras.); a de 1941 (mas não a melhor) dirigida por Victor Fleming com Spencer Tracy, Ingrid Bergman e Lana Turner, para a MGM. e a de 1931 (talvez a melhor) de Rouben Mamoulian, para a Paramount com o actor Frederic March (obteve o Oscar de 1932 para melhor actor)
Uma adaptação também bem conseguida a de Jean Renoir em 1959.
(3) https://en.wikipedia.org/w/index.php?curid=39241672