Neste dia, 22 de Maio de 1986, o Correio de Macau / CTT pôs em circulação o sobrescrito e obliteração de 1.º dia de circulação  e seis selos com o motivo “Instrumentos Musicais Regionais
Dados Técnicos 22MAI1986 Instrumentos Musicais RegioniasOs desenhos são de Jorge Rocha.
Os selos e uma cópia da Portaria n.º 69/86/M de 26 de Abril que autorizou a emissão (extraordinária) e circulação dos selos postais e respectivos blocos especiais foram publicados em anterior postagem (1) dedicado ao “Simpósio Internacional sobre Factores de Risco para Doenças Cardiovasculares / International Symposia on Risk Factors for Cardiovascular Diseases”.
Os selos postais têm os seguintes valores (com as explicações de cada instrumento, da Dra. Maria da Graça Marques)(2)
0,20  patacas – SUO-NA – antigo instrumento de sopro, com um corpo central de madeira e extremidades metálicas, que pode apresentar-se em quatro tamanhos diferentes.
0,50 patacas – SHENG – sem dúvida um dos mais antigos instrumentos chineses, é um órgão de boca que pode produzir notas simples e acordes
0,60 patacas – ER-HU – é um dos instrumentos de arco mais populares na China. Com uma pequena caixa de ressonância tapada num dos seus lados com pele de cobra, tem a particularidade de o arco estar preso entre as suas duas cordas. Calcula-se que tenha aparecido há quinhentos anos.
0,70 patacas – RUAN – é também um instrumento de quatro cordas,  com mais de mil e quinhentos anos, que pode apresentar-se em dois tamanhos diferentes.
5.00 patacas – CHENG (ou GU-ZHENG) – desde sempre um dos instrumentos mais apreciados, é actualmente feito de madeira com cordas metálicas. É uma espécie de harpa tocada na horizontal com um número variável de cordas (de 16 até 23), abrangendo três oitavas. É considerado dos instrumentos mais poéticos de todos os instrumentos musicais chineses.
8.00 patacas – PI-PA – com mais de dois mil anos, é uma espécie de alaúde com quatro cordas, de timbre delicado e encantador.
ENVELOPE + selos 22MAI1986 Instrumentos Musicais Regionias“INSTRUMENTOS MUSICAIS REGIONAIS
A cultura chinesa classifica os objectos segundo critérios que escapam à lógica ocidental. Se atentarmos na forma de dividir os instrumentos musicais de ambas as culturas aperceber-nos-emos dessa disparidade.
Os instrumentos musicais ocidentais dividem-se em três grandes grupos, conforme o seu funcionamento – sopro, percussão e cordas – havendo no interior der cada grupo subdivisões sucessivas até esgotar as mais pequenas diferenças. Os chineses distinguem os seus próprios instrumentos pelo material de que são feitos. No entanto, nem sempre é o material preponderante o definidor. É o caso dos «Instrumentos de seda», quase todos eles instrumentos de corda – e aqui é o ocidental que classifica – em que a seda é apenas o material das cordas.
Pedra, metal, seda, bambu, madeira, pele, cabaça barro, são os materiais constituintes  e definidores dos instrumentos chineses. No entanto a sua especificidade tímbrica resulta não só dos materiais de que são feitos, como também das formas, aspectos que facilmente os distinguem dos seus equivalentes doutras culturas.
Todos os instrumentos representados nesta serie de seis selos possuem uma longa existência, nem sempre com as formas que apresentam actualmente, podendo ser tocados a solo ou integrados numa orquestra acompanhando o canto ou a ópera.
(1) https://nenotavaiconta.wordpress.com/2014/09/16/noticia-de-16-de-setembro-de-1987-simposio-internaci-onal-sobre-factores-de-risco-para-doencas-cardiovas-culares-macau-hong-kong/
(2) Dra. Maria da Graça Marques, responsável pelo Sector de Música do Instituto Cultural de Macau. Retirado da Brochura/lembrança distribuído aquando do lançamento do envelope com bloco.