…… continuação (1)
Diário: 7-04-1974
A cidade de Tóquio é das maiores do mundo, com uma população das mais elevadas. Subjuga todo o visitante. Os «Pequenos Cantores» foram distinguidos com um passeio que lhes ofereceu a «Teikoku Kando». Visitaram a Praça do Imperador e estiveram na torre de Tóquio, uma réplica da Torre de Eifell, de Paris. Aqui improvisaram um concerto, enquanto oa operadores da Televisão, que sempre os acompanharam, captavam todas as imagens desta digressão que certamente não será olvidada com facilidade.

MACAU B. I. T. X, 1-2 MARABR 1974 Pequenos Cantores IIIOs «Pequenos Cantores» na Torre de Tóquio, acompanhados dos operadores da Televisão

Muitos que adregaram subir àquelas alturas naquela ocasião, ficaram surpreendidos com a presença dos jovens cantores, particularmente quando os ouviram interpretar a célebre canção japonesa «Sakura», com uma cidade a seus pés..(…)
No mesmo dia, participaram num programa para a Televisão dedicado às crianças, juntamente com outros artistas, a que assistiram cerca de 2 000 pessoas, tendo os «Pequenos Cantores» interpretado entre outras a canção portuguesa «Rosmaninho». que os presentes acompanharam com palmas, juntamente com os cantores.
À saída do templo budista, vendo-se uma parte dos fiéis.
Diário: 8-04-1974
Neste dia, realizou-se o espectáculo mais emocionante de toda a direcção pelas diversas cidades  japonesas: a participação numa cerimónia, num grandioso templo budista de Tóquio, comemorativo do nascimento do Buda, com a assistência de 7 a 8 mil fiéis desta religião que edificaram os nossos rapazes pela sua compostura e sobretudo pela fé revelada no fervor com que seguiram todo o cerimonial litúrgico.

MACAU B. I. T. X, 1-2 MARABR 1974 Pequenos Cantores IVÀ saída do templo budista, vendo-se uma parte dos fiéis.

Os «Pequenos Cantores» foram apresentados aos fiéis que os receberam com calorosas palmas, pois estes acontecimentos de verdadeiro e muito simpático ecumenismo, embora deixassem já de ser inéditos como manifestação de aproximação religiosa, despertam sempre uma intimidade humana que dispõe ao entendimento universal.
Executaram, nesta ocasião, dois cânticos religiosos apropriados ao ambiente em que se encontravam e outros em língua japonesa a exprimir sentimentos sobre a natureza perfeitamente adequados  à alma budista que se dilata sobre o mundo criado, onde palpita a vida e se exteriorizam anseios.
Todos os nossos rapazes foram convidados a lavar a cabeça do Buda, que constitui o ritual de purificação individual, delicadeza que traduz uma alma nobre e um gesto digno dos responsáveis pelo templo, que foi muito apreciado, como não podia deixar de ser.
No «Fumon Hall», dos budistas, realizou-se o último concerto em Tóquio. Um complexo imponente, luxuoso, dotado de todos os modernos requisitos de som. A assistência era constituída por fiéis do culto budista, numerosos, interessados e receptivos, sem preconceitos, abertos a toda a influência que exprima humanitarismo e convivência social. Os «Pequenos Cantores»   sentiram este calor à sua volta, tanto no concerto que deram, como no almoço que lhes foi oferecido no refeitório do mesmo edifício. (2)
(1) https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/pequenos-cantores-do-c-d-b/
(2) Reportagem não assinada em «MACAU B. I.T., 1974»