PARECER

 ” A Commissão de Ultramar examinou o ofício do Secretario d´Estado dos negócios da fazenda, de 29 de Janeiro passado, em que remeteu um projecto para proteger na cidade de Macao o commercio do Anfião (1) com o imperio da China, (2) as actas do leal senado a este respeito, a opinião dos negociantes, o relatorio do procurador do senado, e a carta do interpetre china ao mesmo procurador. O objecto de todas estas representações he o seguinte: o anfião he rigorroso contrabando no imperio: ao mesmo tempo he a principal mercadoria do commercio de Macáo, e avidamente procurada pelos povos da China. A commissão não conhecendo os usos e leis daquelle imperio, não póde dar e este respeito opinião alguma; nem julga que se deva dar: está ordenado pelas leis deste reino, que o leal senado de Macáo, conserve illesas todas as relações politicas com o imperador da China, e que não comprometia jámais nem a existencia do estabelecimento , nem estas relações politicas. He só esta recomendação que a Commissão pensa que o Governo deve reiterar ao leal senado, e governança de Macáo, deixando o mais à sua prudencia, a circunspecção de que tantas provas tem dado neste arduo , e espinhoso negocio.
Paço das Cortes em 17 de Março de 1823 = Francisco Soares Franco; Manoel Patrício Correia de Castro; Joaquim Antonio Vieira Belford; Domingos da Conceição; Manoel Caetano Pimenta de Aguiar; Manoel Freitas Branco.
Venceu-se, que vá á Commissão do commercio.” (3)
PARECER Commissão do Ultramar 1823(1) Anfião – Nome que os mercadores davam ao ópio no Oriente.
(2) “1800 – O Imperador da China proibiu severamente que se continuasse a trocar o dinheiro por aquela «vil esterco» (o ópio). Publicam-se novos e severos decretos imperiais contra o ópio. Proibição do seu comércio.
1815- O Senado de Macau renovou a antiga restrição, impedindo os navios não portugueses de descarregar ópio em Macau Os ingleses vindos de Bengala com ópio procuraram então chegar a Whampoa e Cantão com navios seus, mas eram muitas vezes apanhados e só com fortes saguates conseguiam passar a carga. Esta situação foi a maior causa do seu desvio para Lintin, (1921) ilha na boca do rio, (4) muito mais segura onde armavam depósitos flutuantes para armazenarem o ópio vindo da Índia e em trânsito para a China.
1821 – A China ameaça bloqueio a Macau, por causa do comércio do ópio.
(SILVA, Beatriz Basto da – Cronologia da História de Macau, Volume 3, 1995)
(3) Diário das Cortes da Nação Portugueza: .. anno de legislatura,  Volume 9. Lisboa, a Imprensa Nacional,  1823, p. 324.
https://books.google.pt/books?
(4) Ilha de Tamão, (Tumon segundo Tomé Pires), Tun-mên, “Tau Mun”, ou Lin Tin , também conhecida entre os portugueses pela Ilha da Viniaga, no delta do Rio das Pérolas. Actual,  Ilha de Lingding ou ilha de Nei Lingding 内伶仃岛.