Três pequenos desenhos na capa do n.º 36 (16-07-1900) da Revista Brasil-Portugal, sem referência ao autor, com o título

Revista Brasil-Portugal - n.º 36 e 38 - Desenhos de Chinnery I“Costumes  chinezes

E outros seis com o mesmo traço,  numa página interior do n.º 38, da mesma revista de 16-08-1900, com o título

Revista Brasil-Portugal - n.º 36 e 38 - Desenhos de Chinnery IICOSTUMES CHINEZES

e referenciados como “Illustrações de Schinirey (americano)”
Chinnery AUTORETRATO G.Chinnery Leal SEnadoEstas ilustrações são alguns (dos muitos que o autor deixou) dos esboços preliminares e desenhos de figuras atribuídos ao pintor George Chinnery, que viveu em Macau de 1825 a 1852. (1)
Possivelmente pertencentes à colecção existente na Sociedade de Geografia, constituída por 235 desenhos a lápis,  a maioria contendo cenas de rua vistas panorâmicas e de monumentos, retratos, costumes e trajes locais.
São lendárias as  deambulações do pintor pelas ruas de Macau desenhando a cidade e os seus habitantes.
Carlos Montalto de Jesus num manuscrito de sete folhas datado de Agosto de 1915 que se encontra na Biblioteca da Sociedade de Geografia de Lisboa disse «Chinnery tinha por hábito percorrer as ruas de Macau em uma cadeirinha, que logo parava sem vista de qualquer cena digna de um croquis»
As legendas dadas pela Revista a estes esboços não são as mesmas com que os esboços estão catalogados. Assim apresento cada esboço com a legenda dada pela Revista, a legenda “oficial” em “negrito”  e o ano provável do desenho.

Revista Brasil-Portugal - n.º 36 e 38 - Desenhos de Chinnery IIIVendilhão ambulante
Camponeses a jogar
ca 1840-45
Lápis e tinta sobre papel
Revista Brasil-Portugal - n.º 36 e 38 - Desenhos de Chinnery IVChineses jogando
Jogadores de rua
1844
Lápis e tinta sobre papel
Revista Brasil-Portugal - n.º 36 e 38 - Desenhos de Chinnery VTancareira
Mãe tancareira e criança
1836-40
Tinta sobre papel
Revista Brasil-Portugal - n.º 36 e 38 - Desenhos de Chinnery VIMargem do porto Interior de Macau entre a barra e a Praia de Manduco em 1833
Parte de um conjunto intitulado “Casas do Porto Interior e Colina da Penha
ca 1830-33
Lápis e tinta sobre papel
Revista Brasil-Portugal - n.º 36 e 38 - Desenhos de Chinnery VIIArtiffices chins trabalhando ao ar livre
Parte de um conjunto intitulado «Soprando a forja»  de 1825
Lápis sobre papel.
Revista Brasil-Portugal - n.º 36 e 38 - Desenhos de Chinnery VIIILancha para tancar pequeno
Sampana com as velas dobradas e barqueiro
Ca 1850
Lápis sobre papel
Revista Brasil-Portugal - n.º 36 e 38 - Desenhos de Chinnery IXUm tancar
Mulheres macaenses e um barco
1834
Tinta e lápis sobre papel
Revista Brasil-Portugal - n.º 36 e 38 - Desenhos de Chinnery XOutro tancar
Pescador e barco
ca 1833-35
Lápis sobre papel
Revista Brasil-Portugal - n.º 36 e 38 - Desenhos de Chinnery XITancareiras, tripulantes do barco tancar (sul da China)
Barqueira numa sampana
1834
Tinta sobre papel

George Chinnery錢納利  (mandarim pinyin: qián nà li; cantonense jitping: cin2 naap6 lei6) (1774 –1852) não era americano mas inglês; nasceu em Londres.
Referências anteriores a este pintor em
https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/george-chinnery/