Estreava-se no Teatro Vitória no dia 22 de Maio de 1957, o filme realizado e coproduzido  por George Stevens (1)  para a «Warner Bros» em , de 1956, “THE GIANT” (2)

WANERCOLORIDO – O GIGANTE.

O Gigante 1957

O folheto em papel base avermelhado com chamada de atenção para a alteração do horário habitual das sessões por causa da duração do filme, 201 m.

O Gigante IUm melodrama (alguns críticos apelidaram de «soap opera») que foca a paixão como geradora e destruidora de um vasto império económico familiar, do poderoso rancheiro texano, do começo da exploração petrolífera no Texas e os grandes magnatas do petróleo, entre 1900 e 1950., com um pequeno apontamento à questão da intolerância interracial.

Um filme ficou marcado por ter sido o último (dos poucos) filme de James Dean (3) que morreu pouco dias depois de terminar as suas cenas do filme e antes do filme estar concluído.

O Gigante 1957 verso(1) George Stevens receberia o Óscar de melhor realizador por este filme (já ganhara um anterior, em 1951, pelo filme: Um Lugar ao Sol (A Place in the Sun).
(2) Recebeu nove outras indicações para o Óscar nas categorias de melhor filme, melhor ator: Rock Hudson (4) e James Dean, melhor atriz secundária (Mercedes McCambridge), melhor argumento adaptado, melhor montagem, melhor banda sonora e melhor direção artística (cor), melhor figurino (filme colorido).
(3) A lista dos nomeados para os óscares de 1955 encerrava um facto inédito: um actor já falecido poderia vir a ser premiado. James Dean estava ainda vivo da memória de todos e foi sem grande espanto que se deu a sua nomeação por A Leste do Paraíso (East of Eden). Um ano depois foi novamente nomeado por O Gigante (The Giant) e já era um mito mas nem por isso, à segunda nomeação lhe valeu um Óscar.
(4) Rock Hudson, ao longo da sua carreira, apenas teve uma nomeação da Academia para melhor actor pelo papel em O Gigante (The Giant)
O Gigante II
Trailers do filme disponíveis em:
https://www.youtube.com/watch?v=kMG_ipol-MI