Em 20 de Fevereiro de 1924 foi atribuído pelo Governo da Província um louvor ao Chefe da Policia de Investigação Criminal, Lao Ngui, pela habilidade e grande zelo demonstrados nas diligências a que procedeu, em Cantão, para a descoberta dos falsificadores de notas do Banco Nacional Ultramarino, e apreensão das máquinas empregadas neste fabrico. (1)
Um exemplar de uma nota de cinco patacas (pagável em Macau em moeda corrente) do Banco Nacional Ultramarino de 1 de Janeiro de 1924 apresentado no site (2)

NOTA BNU 5 ptcs 1924À esquerda, um navio a vapor (emblema do banco) (3) e
à direita um junco (referente a Macau)

NOTA BNU 5 ptcs 1924 verso
Recorda-se que no ano de 1924 a “Colónia” teve uma quebra das receitas por perda da exploração do exclusivo do ópio “descera das 263 668 patacas de média mensal para cerca de 22 000 nesse mês de Julho, com uma perspectiva para o mês de Agosto, que dizem, a custo chegará a 70 000 (carta do gerente em Macau, Monteiro Lopes, enviada a 29 de Julho de 1924). (4)
Também nesse ano, 1924, devido a tumultos em Cantão, muitos refugiados procuraram Macau. Foi a primeira vez que Macau ultrapassou os 100 mil habitantes, tendo cerca de 193 175. Quando os tumultos passaram nem toda a gente regressou a Cantão. A população em Macau baixou, mas mesmo assim registaram-se 120 mil habitantes. (1)
(1) SILVA, Beatriz Basto da – Cronologia da História de Macau, Volume 4.
(2) A nota foi impressa por “Thomas De La Rue & Company Limited, London, England.
http://www.worldbanknotescoins.com/2014/09/macau-banknotes-5-patacas-1924-banco-nacional-ultramarino.html
Emblema BNU(3) Da redacção dos primeiros Estatutos do BNU consta que o selo do Banco terá por emblema um navio a vapor com a legenda na parte superior “Banco Nacional Ultramarino” e na inferior “Colónias, Comércio e Agricultura
(4) Citado em: http://banconacionalultramarino.blogspot.pt/2011/07/bnu-macau.html