A fim de evitar a vinda da epidemia «peste negra» para Macau, em 16 de Fevereiro de 1911, o Governo resolve que os navios ancorados nos portos infeccionados não tenham livre prática, antes da revista médica. O Chefe de Serviço de Saúde propõe a criação do posto de desinfecção e apresenta um projecto de regulamento sanitário.

Já a 2 de Fevereiro, as autoridades sanitárias decidiram dividir a cidade em zonas para melhor defesa da peste e estabelecer medidas relativas às visitas domiciliárias dos médicos encarregados dessas zonas.

Estas medidas de defesa contra o desenvolvimento da peste bubónica foram as iniciais tomadas pelas autoridades de Macau para evitar a propagação da doença, endémica na região do Sul da China, e que já relatei em anterior postagem “Notícia de 1 de Maio de 1911 – Epidemia de Peste Bubónica” (1)

(1) https://nenotavaiconta.wordpress.com/2014/05/01/noticia-de-1-de-maio-de-1911-epidemia-de-peste-bubonica/
Informações recolhidas de SILVA, Beatriz Basto da – Cronologia da História de Macau, 4.º Volume.