Neste dia, 15 de Agosto de 1863, os chineses de Shoumi, a poucas léguas a nordeste de Macau, fizeram uma procissão como já não se fazia há quarenta anos. Com a prévia licença da autoridade superior, entraram em Macau e percorreram a cidade, nos dias 15 e 17. Gastaram-se com esta procissão 40.000 patacas, em ornamentos, fatos, umbelas, palanquins e bandeiras bordadas a matiz e ouro, dum trabalho primoroso, custando cada uma 300 taéis. O séquito era composto de mais de 1.000 chineses, todos de Shuomi, tenho sido hospedados na cidade às expensas dos negociantes chineses. Não obstante a cidade ter sido invadida por milhares de chineses para assistirem ou participarem na procissão, não houve a mais leve perturbação da ordem pública.

GOMES, Luís Gonzaga – Efemérides da História de Macau. Notícias de Macau, 1954, 267 p.