Macau festejou condignamente o seu paradeiro, S. João Baptista, realizando nos dias 23 e 24 de Junho de 1956, as tradicionais comemorações e festividades em honra daquele Santo Popular.

Procissão S. João Baptista

Ecos da imprensa (1), relatava:

As festas a S. Baptista, Padroeiro da cidade, têm sido anualmente celebradas a partir de 24 de Junho de 1622 por voto do Município e da população desta província em homenagem àquela plêiade de heróis que animadamente de forças sobrenaturais e fé inquebrantável se opuseram com denodo e vitoriosamente às forças holandesas que procuravam a todo o transe a conquista da cidade. Nesse inolvidável dia de 1622 se as forças se multiplicaram e um acendrado patriotismo dos macaenses conseguiu coisas inverosímeis, o povo na sua crença divina de S. João que protegeu o povo português de Macau nessa pugna de direito… (…)”

O Leal Senado promoveu nesse ano, nos dias 23 e 24 a festa religiosa, havendo nos mesmos dias no terraço do Mercado De S. Domingos um arraial à portuguesa com bandas de música e atractivos.
O Bispo de Macau, D. Policarpo da Costa Vaz presidiu na Sé Catedral no dia 23 aos actos vespertinos acompanhados do Cabido, Clero e Seminário Diocesano de S. José.
Seguidamente às Vésperas Solenes, o Reverendo Padre Benjamin Videira Pires, numa pregação patriótica de alto valor histórico, evocou o dia 24 de Junho de 1622, pondo em foco a importância da Fé naquela memorável façanha dos portugueses.
A procissão saiu depois percorrendo o caminho que já é do hábito nos anos anteriores. A banda da música dos alunos Salesianos tocou durante o cortejo.
(1) MACAU Boletim Informativo, n.º 70, 1956