“Falleceo neste dia Nicolão Feumes, e no outro dia foi enterrado em Sam Francisco na sepultura da sua primeira mulher Marcelina de Abreo que tinha fallecido em 3 de Junho de 1731 cujo enterro se fes com grande pompa e acompanhamento sendo Provedor da Misericórdia o Gov.or Cosme Damião Pereira Pinto.

Falleceo depois de 80 annos, de intrevado na cama tendo vivido com esta segunda mulher cinco annos e sette meses que viuva cazou-se depois com António José da Costa que os Jesuitas mandarão-no buscar, ficou a dita Viuva com mt.º Cabedal e poucos annos que teria vinte, o que tudo era necessário para achar hum sugeito para casar. Ella ficou por herdeira universal de quanto estava em Caza, tanto que as desposições da alma deixou elle defunto Feumes que se fisessem depois da chegada do seu navio St.º António, e do cabedal que nelle tinha, mas como succede quasi sempre o sermos enganados elle o experimentou (#) pois que o Navio se perdeo no mar da China escapando sòmente a gente que com tempo se aproveitou da lancha e do Escaler, indo aportar em Sanchuan, e vindo a esta Cidade por Cantão. Desta sorte ficou a Viuva com tudo e a Alma do dito defunto sem nada – quem sabe se não precizava” (1)

(#) Na margem anotada pelo anónimo autor: “boa maneira depois de morto

(1) Cosme Damião Pinto Pereira (1.º mandato) governador de 4 08-1735 a 27-08-1738.
Retirou-se entregando o governo a Manuel Pereira Coutinho, verificando-se que a posse, em Agosto anterior, não fora seguida de imediato exercício.”
Voltaria como Governador (2.º mandato) a 25-08-1743 e ficou até 29-08-1747.
SILVA, Beatriz Basto da – Cronologia da História de Macau Século XVIII, Volume 2. Direcção dos Serviços de Educação e Juventude, 2.ª Edição, Macau, 1997, 216 p. (ISBN 972-8091-09-5).
(2) BRAGA, Jack M. – A Voz do Passado. Redescoberta de A Colecção de varios factos acontecidos nesta mui nobre cidade de Macao. Instituto Cultural de Macau, 1987, 78 p.