No dia 3 de Janeiro de 1864, (1) realizaram-se em Macau, por motivo do nascimento de D. Carlos, (2) estrondosos festejos com iluminações, récita de gala no Teatro D. Pedro V (3), banquete no Palácio do Governo e no do Barão de Cercal (4), fogos de artifício e outros divertimentos no Campo de S. Francisco (5), tendo tido os espectáculos teatrais chineses, realizados nos dias 4, 5 e 6, uma frequência diária de quatro a cinco mil espectadores (6)

Rei D. Carlos I
http://pt.wikipedia.org/wiki/Ficheiro:Carlos_I_de_Portugal.jpg
(1)   Já em 1 de Dezembro de 1863 havia sido celebrado, em Macau, o nascimento do príncipe. Idênticas celebracões festivas pelo Príncipe, foram realizadas a 12 de Maio de 1864, pelo reconhecimento como sucessor do trono e quando o Príncipe se casou, o Decreto de 13 de Maio de 1886 ordenou igualmente festejos públicos, o mesmo se verificando a 22 de Março de 1887, pelo nascimento do Principe da Beira.
SILVA, Beatriz Basto da – Cronologia da História de Macau Século XIX, Volume 3. Direcção dos Serviços de Educação e Juventude, Macau, 1995, 467 p (ISBN 972-8091-10-9).
(2)   D. Carlos I de Portugal (nome completo: Carlos Fernando Luís Maria Vítor Miguel Rafael Gabriel Gonzaga Xavier Francisco de Assis José Simão de Bragança Sabóia Bourbon e Saxe-Coburgo-Gotha), filho de D. Luís I e de Maria Pia de Saboia. Penúltimo rei de Portugal.
Nasceu em Lisboa a 28 de Setembro de 1863 e faleceu a 1 de Fevereiro de 1908 (morto pelos disparos, no Terreiro do Paço). Subiu ao trono em 1889.
(3)   Sobre o Teatro D. Pedro V, ver:
      https://nenotavaiconta.wordpress.com/2013/03/08/leitura-o-teatro-d-pedro-v-ii/
https://nenotavaiconta.wordpress.com/2013/03/07/noticias-de-7-de-marco-de-1857-teatro-d-pedro-v-i/
(4)   Sobre o Palácio e o Barão de Cercal, ver:
https://nenotavaiconta.wordpress.com/2012/10/31/noticias-31-de-outubro-de-1872/
(5)   Em 1861 o governador Coelho do Amaral mandou demolir o Convento de S. Francisco, (嘉思欄修院 / 聖方濟各修院), fundado por franciscanos castelhanos a 2 de Fevereiro de 1580, (por isso, na toponímia chinesa ,o jardim de S. Francisco  tem o nome de Ka-Si-Lán-Fá Yun, 加思欄花園,isto é “Jardim dos Castelhanos“). Em 1585, os franciscanos castelhanos foram substituídos por franciscanos portugueses e, em 1834, por as ordens religiosas terem sido extintas em Portugal e por isso também em Macau, o Governo de Macau tomou posse do terreno e seus bens.
O Convento foi demolido e, no seu lugar, construído um quartel, batalhão de primeira linha, que o destacamento ocuparia a partir de 30 de Dezembro de 1866.
https://nenotavaiconta.wordpress.com/2013/11/29/leitura-descripcao-de-macau-em-1837/
Toponímia Jardim de S. FranciscoA zona arborizada foi transformada em jardim público – Jardim de S. Francisco considerado o 1.º jardim público de Macau. O jardim tinha sucessivos patamares até ao Rio das Pérolas e perdeu essa ligação ao mar com os aterros da Praia Grande, em 1920. Posteriormente com a abertura da Rua da Santa Clara, em 1935, foi-lhe retirada vasta área (destruída também o coreto onde a alta sociedade convivia ao princípio da noite e ouvia música).
(6)   GOMES, Luís Gonzaga – Efemérides da História de Macau. Notícias de Macau, 1954, 267 p.

NOTA 1: Aproveito para chamar a atenção para um trabalho de investigação de Joana S. Pinto Brun sobre “Os Jardins Históricos de Macau”. Trata-se de um trabalho de dissertação para mestrado em Arquictetura Paisagística (Universidade Técnica de Lisboa) de 2011 e que recomendo a sua leitura, disponível em:
http://www.repository.utl.pt/bitstream/10400.5/…/Dissertacao_JoanaSPBrum.p…‎

Convento de S. FranciscoConvento de S. Francisco

(TEIXEIRA, Pe.. Manuel – Os Militares em Macau. Edição do Comando Territorial Independente de Macau, 1976, 614 p.)

NOTA 2: Recordo ainda aqui a canção dedicada ao “Jardim de S. Francisco”, da Tuna Macaense, de 1997, do album “Titi Bita di Lilau”. A melodia é de António dos Santos Dias. Disponível no You Tube:
http://www.youtube.com/watch?v=Q3RCf0ugE0w