Templo de Á Má O Panorama

“Entre as construcções chinezas em Macau só são para notar quatro principais pogodes, um em cada uma das aldeas de Moha e Patane, outro no caminho de Patane para a porta do Cêrco, e o quarto perto da fortaleza da Barra; os dous ultimos são de bonita architecyuira no estylo chinez, e muito bem situados, principalmente o da Barra, que tem differentes nichos ou cappelas em amphitheatroi, por entre grandes penedos e frondosas arvores, que o fazem muito pittoresco. Os chinas escolhem com muito tacto e gosto os locaes dos seus pagodes, construindo-os de ordinario por entre penedias e arvoredos, e em sítios romanticos; são muito amadores das arvores, e sendo grandes e bellas as conservam pelo meio dos muros e edifícios, ou affeiçoando estes de modo que não tenham de as derrubar.

CALDEIRA, Carlos José – Apontamentos d´uma viagem de Lisboa à China e da China a Lisboa. Typographia de G. M. Martins, Lisboa 1852 e 1853. 1.º Vol, 423 p.

Destaques a “bold” da minha autoria

Carlos José Caldeira nasceu em Lisboa (1811-1882) Em 1850 está em Macau e ocupa-se durante um ano da redacção do Boletim Oficial de Macau que forma um volume de 181 pág.
O livro referido tem dois volumes. O tomo I é da Typ. de G. M. Martins, 1852, com 421 pag. e  o tomo II. da Typ. de Castro & Irmão, 1853, com 330 pag.
Informação anterior de Carlos José Caldeira em:
https://nenotavaiconta.wordpress.com/2013/06/30/noticia-de-30-de-junho-de-1851-accao-naval-contra-pirataria/
Informação anterior do Templo de A-Má :
https://nenotavaiconta.wordpress.com/2013/07/15/o-pagode-de-macau-seac-jaime-do-inso-1929/