“A começar em 14 de Novembro de 1957”, (1) estreava-se no Teatro Vitória, o filme “Lisbon
(um filme de crime, intriga e excitação, conforme anunciava o cartaz)

Teatro Vitória - LISBON I
Com sessões às 14.30, 19.30 e 21.30 horas, o programa anunciava

1 – Abertura
2 – Documentário da Português (2)
3 – Reclamos de próximos filmes
4 – A “REPUBLIC” (3) apresenta

 “LISBOA”
“A million dollar double-cross explodes … in Lisbon!
Where life is quick and love is sudden!”

O filme é americano, realizado e produzido, por Ray Milland (1907-1986), em 1956, e tem como protagonistas o próprio Milland, Maureen O´Hara (1920-), Claude Rains (1889-1967, excelente actor, sempre lembrado pelas interpretações em “Casablanca” e  “Lawrence of Arabia”) (4) e Yvonne Furneaux.
Teatro Vitória - LISBON CartazTodo o elenco é americano, mesmo a interpretação do “Inspector João Casimiro Fonseca” é americana (Jay Novello). A única participação portuguesa de algum relevo é a do actor Humberto Madeira (como Tio Rabio).

O filme é uma adaptação de uma pequena história de Martin Rackin (1918-1976) (5)

Teatro Vitória - LISBON Folheto verso

A música é de Nelson Riddle e tem como tema, a canção “Lisboa antiga” cantada no filme por Anita Guerreiro, numa cena, no restaurante.

Teatro Vitória - LISBON canção

A canção composta em 1937 por Raul Portela e com letra de José Galhardo e Amadeu do Vale, sofreu arranjos de Nelson Riddle (letra em inglês de Harry Dupree). Esta melodia esteve durante 4 semanas, no ano de 1956 no “Billboard Top 100 number -one single” (6)

NOTA 1: Considerado o primeiro filme americano feito em Lisboa. Os interiores foram filmados nos Estúdios Tóbis. Os exteriores foram filmados em vários sítios de Lisboa: Torre de Belém, Praça do Comércio, Castelo de S. Jorge e Mosteiro dos Jerónimos. Fora da capital cenas á beira marem Cascais e no Palácio de Seteais em Sintra.

NOTA 2: A actriz Maureen O´Hara na sua autobiografia de 2004 “´Tis Herself: A Memoir” (7) escreveu a cerca da sua participação neste filme:
“For the first time in my career I got to play the villain, and Bette Davis was right – bitches are fun to play.”

(1) O filme estreou-se a 17 de Agosto de 1956 nos EUA e em Portugal no dia 1 de Janeiro de 1957
(2) Creio tratar-se de “Documentário de Portugal” ou então apresentação de um documentário em português.
(3) A “REPLUBIC” foi uma produtora /distribuidora (Republic Pictures) independente, de filmes americanos de “western”, filmes da série B de “mistério e acção”, muito popular nos anos de 1935 a 1959. (4) Ver:
https://nenotavaiconta.wordpress.com/2013/05/19/folheto-de-cinema-teatro-vitoria-vii-lawrence-of-arabia/
(5) Escritor e produtor americano, esteve à frente da Paramount Pictures de 1960 a 1964. Nos finais de 1950, produtor de uma série de filmes de Alan Ladd. (http://en.wikipedia.org/wiki/Martin_Rackin)
(6) http://en.wikipedia.org/wiki/Lisbon_Antigua
(7) O’HARA, Maureen; NICOLETTI, John – ‘Tis Herself: A Memoir. Simon & Schuster, 2004, p.241, ISBN 0-7432-4693-4.

Informações do filme retiradas de http://en.wikipedia.org/wiki/Lisbon_(film)
O cartaz  foi retirado de
http://en.wikipedia.org/wiki/File:Lisbon_1956_film_poster.jpg