Hoje  sou notícia numa foto do meu álbum, referente a 10 de Junho de 1963 , nessa altura, DIA DE CAMÕES, DE PORTUGAL e DA RAÇA. (1)

Uma das “alas” da Mocidade Portuguesa (2), esta composta pelos infantes (dez aos catorze anos) (3) , alunos do Liceu Nacional Infante D. Henrique sob o comando do Chefe de Castelo (4),  Jorge Rangel,  em posição de revista pelo Governador António Lopes dos Santos (5), antes da parada das forças militarizadas, na Avenida da Praia Grande.

Mocidade Poruguesa 10JUN1963Não nomeio os nomes dos colegas aqui presentes (alguns dos quais já não me recordo do nome) , mas a todos eles um grande abraço.

NOTA: não tenho a certeza, mas ao lado do Governador, está Alberto Eduardo da Silva, na qualidade de Administrador do Concelho de Macau e atrás dos dois, Jorge Rangel. Recordo na foto, na segunda fila, da esq. para dta.; Pedro Victal, Vicente, Walter Reis, Fong, Leitão Pereira, Freire, …!!!!

(1) Até ao 25 de Abril de 1974. Nesse ano de 1963, o 10 de Junho tornou-se numa homenagem às Forças Armadas Portuguesas. Em 1978,  o 10 de Junho passou a ser: Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas.
(2) É de 1939 (Boletim Oficial n.º 20 de 1 de Abril) a publicação da organização da Mocidade Portuguesa nas Colónias segundo a orientação e os princípios que informavam a Mocidade Portuguesa na Metrópole. A extinção da Mocidade Portuguesa bem como a Legião Portuguesa,  datam de 1974 (após o 25 de Abril)
SILVA, Beatriz Basto da – Cronologia da História de Macau Século XX, Volume 4. Direcção dos Serviços de Educação e Juventude, 2.ª Edição, Macau, 1997, 454 p (ISBN 972-8091-11-7)
(3) Os filiados da M.P. eram agrupados, com base na idade, em quatro escalões, pela forma seguinte:
1.º Lusitos, dos sete aos dez anos completos;
2.º Infantes, dos dez aos catorze anos;
3.º Vanguardistas, dos catorze aos dezassete anos;
4.º Cadetes, dos dezassete anos em diante.
(4) Dentro de cada ala e dentro de cada um dos escalões respectivos, os filiados da M.P. eram agrupados nas seguintes formações:
a) Quinas, compostas por 5, com um chefe;
b) Castelos, compostos por 5 quinas;
c) Bandeiras, compostas de 12 castelos;
d) Falanges, compostas de 2 bandeiras.
(5) António Adriano Lopes dos Santos (1919 – 2009),  governador de Macau entre 1962 e 1966. Mais informações em anterior “post”:
https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/antonio-lopes-dos-santos/