“Também esta cidade do Nome de Deus de Macau ajoelhou, mais uma vez, aos pés virginais da Senhora de Fátima. Nesta pequena parcela de terra portuguesa vibraram sinfonias de amor milhares de corações unindo suas vozes ao hino de louvores que , no dia 13 de Maio, ecoou triunfante na Catedral imensa do universo….(…)

13 de Maio 1955 INo largo da Igreja de S. Domingos, começa a formar-se a procissão que vai terminar na ermida da Penha

             É a velha igreja de S. Domingos, o centro da devoção mariana em Macau. Aí os católicos desta cidade prestam a sua devoção à Virgem, sobretudo durante a novena que antecede a festa e nesse dia de apoteose  em que a Senhora ,ais branca do que a luz é levada em procissão até à Ermida da Penha e daí abençoa esta Cidade do Nome de Deus estendida a seus pés… (…)
A adoração do Santíssimo continuou até às 19.30 horas, momento em que se devia sair a Procissão-peregrinação. Uma multidão enorme, aguardando a saída da Imagem da Senhora, havia-se concentrado no Largo de S. Domingos muito antes da hora marcada para o início da Procissão… (…)

13 de Maio 1955 IISua Exa Revma. o Bispo da Diocese D. Policarpo da Costa Vaz e o Prelado Diocesano debaixo do pódio, na Ermida de Nossa Senhora da Penha.

            Os fiéis ora entoando durante a peregrinação, cânticos marianos, ora recitando o Terço do Rosário, haviam-se esquecido da longa caminhada  e todos chegaram à Ermida da Penha como que ainda frescos e prontos para nova jornada…(…)” (1)

(1) Do Boletim “Macau“, 1955.