Ventoinhas carcomidas
                mancham o ar
com o odor mole
                de ovas cozidas
                restos de comidas
que o vento enjoado
                contraído e lento
deposita nas nossas narinas
                bocado a bocado
e o mar salgado
               e escuro
vai acariciando com a sua mão
o tapau onde o futuro
               se condimenta
com gotas de ilusão…

Jorge Arrimar (1)

Jorge Manuel de Abreu Arrimar (1953) foi director da Biblioteca Nacional de Macau de 1986 a 1998. Em  Macau publicou: “Murilaonde” (1990 -Poesia); “Fonte de Lilau” (1990 – Poesia); “A Biblioteca Central de Macau” (1992 – História e Bibliteconomia); “Secretos Sinais” (1992 – Poesia); “Confluências” (em parceria com Yao Jingming, 1997 – Poesia) e  “Antologia de Poetas de Macau” (organização e selecção, em parceria com Yao Jingming, 1999 – Poesia)

(1) ARRIMAR, Jorge –  Secretos Sinais. Instituto Cultural de Macau, 1992, 162 p. ISBN- 35-0129-5

NOTA: o termo TA PAU (  – mandarim pinyin: dá pao; cantonense jyutping: daa1 baau1), em cantonense significa embrulhar, empacotar , no sentido de “levar a comida para casa” (“take-away“)