Tarzan dos Macacos”  (1) foi publicado em 1912 – portanto celebrou-se os 100 anos da sua criação, no ano passado. Sem dúvida é um dos heróis do mundo da aventura, e um dos favoritos dentro das séries de filmes em Hollywood.
Dos muitos filmes, todos reconhecerão o grito de Johnny Weissmuller (1904 – 1984) (2),  que embora não tendo sido o melhor (mau actor, tinha  défice de memorização pelo que muitos dos diálogos eram monossilábicos) é o mais recordado, o mais popular e aquele em que duas gerações ainda associam ao mito.
Foi o 6.º actor (3) a interpretar este papel, entre 1932 (“Tarzan the Ape Man“) (4)  e 1948 (12 filmes). Além do grito, recorda-se também a célebre pele de tigre (inicialmente na banda desenhada)  que se transforma em tanga de couro curtido, no cinema, em 1932, como uniforme de Tarzan. Segundo o livro, Tarzan nasceu completamente despido e assim viveu até que graças aos livros encontrados numa cabana onde os pais viveram (?), descobriu que o seu corpo tinha um significado diferente do dos restantes animais da selva.  O corpo de Tarzan não tinha pelos e era extremamente belo e forte (glorificação da raça branca?)
Claro que as sucessivas derivações cinematográficas tenderam para civilizar o mito, com histórias frequentemente muito pouco convincentes, cheias de repetições.
Até hoje terá mais de 40 filmes sobre esta personagem e mais de 18 actores (5) o interpretaram.
O Folheto de cinema mais antigo que possuo sobre Tarzan é do ano de 1957.
Tarzan e o Safari Perdido 1957O filme “TARZAN E O SAFARI PERDIDO” (“TARZAN AND THE LOST SAFARI“) estreou-se no Teatro Capitol no dia 27 de Junho de 1957.
Estava publicitado como “FILME CINEMASCÓPIO” e era “um emocionante filme de aventuras para actual juventude” (o espectáculo era para maiores de 13 anos)
O actor que interpretava Tarzan era Gordon Scott (6) (“as the new Tarzan“),  sem dúvida aquele que tinha melhor “físico” (a publicidade fazia notar que tinha  os músculos bícepedes de 49 centímetros, além dum desenvolvido perímetro tóracico). No entanto era fraco a representar.
Tarzan e o Safari Perdido 1957 verso(1) Criação de Edgar Rice Burroughs, na revista “All-Story Magazine“. Inicialmente o “Tarzan” de Burroughs era John Clayton, Lord Greystoke,  órfão abandonado na selva africana enquanto bebé, que foi criado pelos macacos Mangani (espécie de macaco ficcional criado por Burroughs)  e aprendeu sozinho a ler e a falar inglês (?).
TARZANA 1. ª edição foi publicado em 1914 (e magazine em Outubro 1912) e depois em 25 sequelas.
Informações recolhidas de:
http://en.wikipedia.org/wiki/Tarzan
(2) Atleta olímpico com 3 medalhas de ouro na natação e uma medalha de bronze no polo aquático, em 1924 (Paris)  e 2 medalhas de ouro na natação em 1928 (Amsterdão)
http://en.wikipedia.org/wiki/Johnny_Weissmuller
Tarzan of the Apes 1918(3) Elmo Lincold (1889 – 1952) foi o primeiro Tarzan, da era do mudo, no filme de 1918 “Tarzan of the Apes
(4) O filme tem um bom argumento, uma boa interpretação de Maureen O´Sullivan embora o melhor da sua série seja “Tarzan and His Mate” (1934)
(5) Durante a produção da série pela MGM, foram 10 os actores.
(6) Gordon Scott (1926-2007) foi “Tarzan” em cinco filmes e foi o 11.ª actor a interpretar este “papel”.
http://en.wikipedia.org/wiki/Gordon_Scott
The BarrettsNOTA: o filme publicitado no folheto como “Brevemente” é “The Barretts of Wimpole Street” (“O céu em teu amor”), de 1957 (o 1.º  filme com este título é de 1934, do mesmo realizador, Sidney Franklin), narra os amores e a vida da poetisa Elizabeth Barrett  (1806-1861) (7) (interpretada por Jennifer Jones) com o poeta e dramaturgo Robert Browning (1812-1889) (interpretado por Bill Travers) após se encontrarem em 1845.  Elizabeth Barrett é autora dos famosos “Sonnets from the Portuguese” escritos entre 1845 e 1846 e publicados em 1850, uma compilação de 44 sonetos de amor.
Pode-se ver o “trailer” do filme em:
http://www.tcm.com/mediaroom/video/10769/Barretts-of-Wimpole-Street-The-Original-Trailer-.html