Interessante artigo de Manuel da Silva Mendes (1), no jornal “O Macaense” de 7/11/1920 (2)

Faz grande falta, em Macau, um hotel que se possa dizer bom. Há uns seis ou oito anos ainda havia o Hotel da Boa-Vista e o Macau-Hotel, que serviam menos mal. Nenhum deles, porém, estava bem à altura já do conforto desejável e, por isso, não tantos forasteiros aqui vinham, como, se melhores fossem, viriam visitar-nos.
Pelintras são poucos os que viajam e destes, o maior número, metem-se em qualquer canto, nos lugares de terceira ou quarta ordem, que todos os bons hotéis em regra têm, e fazem ou cuidam que fazem, mesmo assim, grande figura
– Em que hotel você ficou?
– No Palace Hotel.
(Já se entende: nas traseiras de um quarto ou quinto andar, com vistas sobre a cozinha e o depósito de carvão; mas o sujeito, cuidando que em outro sentido a resposta lhe tomaram, fica com vontade de lá voltar para uma vez mais envaidecer)…(…)…
Não está  bem. Não será para muito, mas não é terra, Macau, para tão pouco. A guerra explicou e justificou muita coisa: mas, agora que tantos ricos há, que tanta gente viaja, estamos desaproveitando ri queza, dinheiro e perdendo sempre, os bons, está o único hotel que há em Macau, dias seguidos, assobiando por fregueses.
É o caso: trepa quem tem unhas (unhas, aqui, é cabeça) e nós não as temos. Os chineses, no «manejo» dos quais, está o único hotel que aqui existe, o «New Macao Hotel», (3) terão vontade mas, está provado, não têm jeito para isto. Um «tiang» com bicos de rouxinóis, ninhos de andorinha, barbatanas de peixe, rebentos de bambú, «vinho» de rosas e…pipachais, arranjam bem: fora disto não dão. E isto não é o que o rico quer, a não ser uma vez, para dizer que viu… e que provou…
Foi nomeada, haverá dois anos ou mais, uma grande comissão (de que felizmente não fizemos parte) de turismo chamada, que no seu complexo programa tinha, se bem nos recordamos, um capítulo, encimado com a palavra Hotéis. Ora, não seria por culpa da comissão, mas o caso deu-se de ficarmos, daí em diante, cada vez em matéria de hotéis, «mais pior». São sempre assim as grandes comissões: se fazem pouco as pequenas, não fazem as grandes nada.
Um bom hotel, é pois, uma das necessidades de que Macau precisa não sofrer…..!

(1) Manuel da Silva Mendes nasceu no distrito do Porto, em S. Miguel das Aves, a 30 de Novembro de 1876. Formado em Direito, veio para Macau em 1901 como professor do Liceu. Em Macau ensinou Português e Latim durante vinte e cinco anos, ocupando por vezes o lugar de Reitor. Ao mesmo tempo exercia a advocacia, tendo acumulado ainda outros cargos, como o de Presidente do Leal Senado e Administrador do concelho. Viveu em Macau quase trinta anos. Gravemente doente em Portugal por volta de 1927, conseguiu regressar a Macau e aí falecendo em 30 de Dezembro de 1931 (BATALHA, Graciete, Macau, 1979 in (2)
(2) MENDES, Manuel da Silva – Macau Impressões e Recordações. Edição Quinzena de Macau, 1979, 132 p.
(3) Acerca deste Hotel, e os nomes adoptados para as várias gerências, ver:
https://nenotavaiconta.wordpress.com/2013/01/17/noticia-de-17-de-janeiro-de-1928-hotel-riviera/
ACTUALIZAÇÃO POSTERIOR EM 23/03/2013:
João Botas (que está a preparar um livro sobre Manuel da Silva Mendes) chamou-me a atenção para o facto desta personalidade ter nascido em 1867.
A professora Garciete Batalha, no livro que citei, refere o seguinte: Faleceu subitamente com 55 anos apenas, em 30 de Dezembro de 1931″.
Outros investigadores (Padre Teixeira, Jorge Forjaz, António Aresta) referem também como data de nascimento: 1876. A Wikipédia (que nem sempre é uma fonte credível) aponta duas datas: 23 de Outubro de 1867 e 23 de Julho de 1867.
Aguardo portanto a obra do João Botas, que poderá esclarecer melhor esta data de nascimento.
INFORMAÇÃO POSTERIOR EM 26/01/2017 da Sra. Maria dos Anjos da Silva Mendes, a quem muito agradeço pela informação exacta do ano ano de nascimento de Manuel da Silva Mendes..
“Boa tarde como diz o João Botas o meu bisavô nasceu em 1867 e não em 1876 conforme vem escrito em muitas obras, aqui vai um link que comprova com a certidão de nascimento…
http://entre-ambos-os-aves.blogspot.pt/2010_08_01_archive.html
Foi este meu parente de Vila das Aves que resolveu este problema para sempre.
A wikipédia está certa porque fui eu que criei a página e esta também no facebook:
https://www.facebook.com/Manuel-da-Silva-Mendes-338627809514901/

Quero agradecer todos os artigos sobre o meu bisavô que muito me alegra.
Bem haja, meus cumprimentos.

Maria dos Anjos da Silva Mendes”