Ali é o delta inchado e lamacento
cordas de águas celestiais vibrando
ali é o mar do Sul da China
suas sereias de barcos bramindo
seus mistérios seus tesouros submersos
suas dez mil ilhas, sua música eterna
zunir do vento, bendito som fecundo

Fernanda Dias (1)

Fernanda Dias nasceu em Moura, Portugal, e residiu em  Macau desde 1986 a 2005 (2) onde lecionou no Liceu e, de 1999 a 2005, na Escola Portuguesa. Durante uma década esteve ligada à Oficina de Gravura da Academia de Artes Visuais de Macau e participou de numerosas exposições internacionais, de gravura e pintura.
Livros publicados relacionados com a temática macaense:
Gao Ge — Poemas (tradução) coleção Escritas de Macau, edição Instituto Português do Oriente, 2007. Poemas de Uma Monografia de Macau, coleção Pavilhão do Insólito, edição COD, Macau, 2004.
Chá Verde, poesia, edição Círculo dos Amigos da Cultura de Macau, 2002.
Rio de Erhu, poesia, edição Fábrica de Livros, Macau, 1999.
Dias da Prosperidade, contos, edição Instituto Cultural de Macau / Instituto Português de Oriente, 1998. Horas de Papel, poesia, edição Livros do Oriente, Macau Poesia, 1992.

(1) DIAS, Fernanda  in ZUNÁI – Revista de poesia & debates de Fernanda Dias http://revistazunai.com/poemas/fernanda_dias.htm

(2) Ver anterior post: “MACAU EM MAIO”
https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/fernanda-dias/