Nasceu em Macau, o doutor Vicente de Paulo Salawitchy Pitter, Cavaleiro da Legião d´Honra de Cristo e da Conceição. Deixou o seu nome ligado a um preparado medicinal, por ele descoberto e confeccionado, chamado Sin-câp do Dr. Pitter, remédio composto de plantas medicinais, muito usado em Macau, noutros tempos, para perturbações gástricas, constipações, etc.”  (1)

O chá do Dr. Pitter ou chá sin-cap era o chá mais popular e mais famoso entre a população portuguesa de Macau até meados do século XX. para os “problemas do estômago”. A receita, por ser um segredo de família foi guardado durante muito tempo. (2) (3). Na verdade  era um preparado de oito espécies (plantas), todas elas utilizadas na Medicina Tradicional Chinesa, e com acção comprovada no tubo digestivo.
(1) GOMES, Luís G. Efemérides da História de Macau. Notícias de Macau, 1954, 265 p.
(2)  “…o chá sin-cap era uma especialidade de muito apreço no meio de Macau. A designação macaense, não seria, pois, mais do que uma corruptela de scented caper, uma vez que o termo sin-cap não é considerado, pelos sinólogos, um vocábulo chinês, nem sequer conhecido fora do comércio que mais está em contacto com pessoas de hábitos macaenses. Um dos propagandistas desse chá sin-cap, se é que não foi o seu autor era um cirurgião, o Dr. Vicente Pitter, de origem estrangeira, mas nascido e velho residente em Macau, onde pelo casamento esteve ligado a família portuguesa”
SOARES, José Caetano – Macau e a Assistência. Edição da Agência Geral das Colónias, 1950
(3) “A família do Dr. Pitter sabia preparar um sin-cap especial em pó. Quando elle vivia, iamos jantar em casa d´elle no dia do seu aniversário ou de qualquer pessoa da família, e obrigava-me a tomar uma cháavena de sin-cap, logo depois de um lauto jantar…”
Carta do macaense Francisco Pereira Marques ao seu primo João Feliciano Marques Pereira (1863 -1909)
NOTA: Informações recolhidas do artigo de AMARO, Ana Maria – O famoso Chá do Dr. Pitter e o já esquecido Chá Patrício. Revista de Cultura, n.º 5, Ano II, 2.º Volume