O cruzador república na China capaRelatório em forma de diário do Comandante em Chefe das Forças Navais Portuguesas no Extremo Oriente, Comodoro Guilherme Ivens Ferraz (1), redigido na conclusão da missão de vigilância no teatro de operações da guerra civil chinesa de 1925 a 1927, no comando do Cruzador “República”. O Livro tem como subtítulo: “Subsídio para a História da Guerra Civil na China e dos Conflitos comas Potências” (2).
O prefácio da obra (assinada a 11 de Dezembro de 1932) é de Artur Tamagnini Barbosa que foi Governador de Macau (3)
Guilherme Ivens Ferraz

Guilherme Ivens Ferraz, em 24 de Junho de 1925, foi nomeado comandante do cruzador “República” (movido a carvão) que partiu para Macau no dia 27, em comissão urgente de serviço de soberania. A chegada a Macau foi a 19 de Agosto ( viagem de 29 dias e 12 horas de navegação). Foi recebido pelo Governador interino da província, o coronel Joaquim A. dos Santos que “logo me disse que devia tomar o comando em chefe das forças navais e organizar um plano de defesa da Colónia
O livro está dividido em três partes: nacionalismo vermelho (1925), avanço dos exércitos nacionalistas (1926) e vitória nacionalista (1927).
O cruzador república

O cruzador «República» no Porto Interior de Macau

Relata vários episódios como “breve historial dos conflitos entre o Império Celeste e as potências europeias (e Japão); perturbações de Maio e Junho de 1925 em Cantão contra as concessões ocidentais; viagem do “República” de Lisboa a Macau, com passagem por Singapura; aliança momentânea entre Chiang Kai-Shek (4) e os bolchevistas; o governo “branco” do general Chen Kwing Ming em Cantão, próximo das potências europeias (Portugal e Grã-Bretanha); lutas entre senhores da guerra no norte e sul do país; as regiões ocupadas pelo Exército Vermelho; Kuomintang vence senhores da guerra; corpo expedicionário português em Xangai; vitória nacionalista sobre os comunistas.” (5)
NOTA: O cruzador “República” foi um dos dois navios da marinha portuguesa (o outro cruzador foi o “Carvalho Araújo”), construído em 1915 e adquirido por Portugal em 10 de Março de 1920 (ao serviço da Armada em 1921). Antes da participação na força multinacional enviado para ao Extremo Oriente, prestou apoio à travessia do Atlântico Sul por Gago Coutinho e Sacadura Cabral em 1922. Abatido ao efectivo da Armada em 1943.
http://pt.wikipedia.org/wiki/Classe_Carvalho_Ara%C3%BAjo
(1) Guilherme Ivens Ferraz (1865- 1956), ingressou na Escola Naval em 1883 e foi sendo promovido até terminar a sua carreira como Vice- Almirante em 1930. Foi membro do Conselho de Almirantes reunido em Xangai durante os acontecimentos de 1927
(2) FERRAZ, Guilherme Ivens – O Cruzador “República” na China. Academia da Marinha,  2.ª edição (fac-simile), 2006, 654 p. + XVIII p. ISBN 972-781-091-8.
A primeira edição foi do Ministério da Marinha (Imprensa da Armada) de 1932, publicação ordenada por Sua Excelência o Ministro da Marinha no seu despacho de 6 de Outubro de 1930.
(3) Governador de Macau em três mandatos: 1918-1919; 1926-1930; 1937-1940
(4) Chiang Kai-shek (1887-1975) conhecido em mandarim como Jiang Zhongzheng (蔣中正). Comandante da academia Militar Whampoa do Partido Nacionalista Chinês , presidente do Governo nacionalista da República da China de 1928 a 1948
(5)  http://purl.pt/711/1/china/ch-biblografia.html