Macau 1929Foi rapidamente sufocada a tresloucada insubordinação dumas 50 praças de artilharia, recentemente chegadas, que chefiadas pelo 2.º sargento Manuel dos Santos Guerra, exigiram um aumento de vencimentos a que se julgavam com direito e que o Governo não podia conceder, por falta  de disposição legal.. Os tresloucados, que se insubordinaram na Fortaleza do Monte, onde se encontrava o Quartel de Artilharia de Guarnição, ameaçaram bombardear a cidade. Esgotados todos os meios suasórios e, após um cerco de vinte e seis horas, pela polícia e outros elementos da guarnição desta província e de os insubordinados terem sido intimados a renderem-se, por intermédio de ordens lançadas pelos aviões da Aviação Naval, dentro de 10 minutos, foram disparadas uns tiros de peça, acompanhados de algumas rajadas de metralhadoras, o que bastou para obrigar os nsubordinados a entregarem-se às autoridades.” (1)

NOTA: Era governador de Macau, Artur Tamagnini de Sousa Barbosa (1926 a 1931)

(1) GOMES, Luís G. – Efemérides da História de Macau. Notícias de Macau, 1954, 267 p.