28-11- 1615 – Consta por uma Carta passada neste dia em Goa, em Nome d´El-Rei D. Phelippe na qual proveo a Francisco Lopes Carrasco Fidalgo da Sua Real Casa por Governador desta Cidade sem dependência do Capitão Mor da Viagem do Japão. Tomou posse nesta mesma Cidade a 31 d´Agosto de 1616.” (1)

O fidalgo da Casa Real, Francisco Lopes Carrasco, foi nomeado pelo Vice-Rei da Índia, em nome de El-Rei D. Filipe, Governador de Guerra desta cidade sem dependência, do Capitão-Mór da Viagem do Japão, sendo por este facto considerado o primeiro Governador de Macau, cargo de que tomou posse, em 31 de Agosto de 1616 (2).
Mas notícias de 31 de Agosto de 1616, indica que Francisco Lopes Carrasco que tomou posse da Capitania e Ouvidoria de Macau, nessa data , por nada ter feito para as obras da fortificação da cidade e por serem muitas queixas contra ele como Ouvidor, o Vice-Rei da Índia mandou que regressasse preso para Goa, tanto mais que foram muitos os excessos e as desordens por ele cometidos. (2). Em 1617 toma posse Lopo Sarmento de Carvalho (1.º mandato como Governador de Macau).
No entanto Beatriz Basto da Silva comenta que “terá, apesar de tudo, devido à sua prática, como militar em África e na Índia (era natural de Goa) contribuído para o projecto da Fortaleza de S. Paulo do Monte,(3)  juntamente com o Pe. Jerónimo Rho, S.J.” (4). Idêntica opinião tem o académico Richard Garrett (5):
The Chinese were suspicious of Portuguese intentions and they objected to the construction of any military establishments. However, the continuing Dutch incursions so alarmed the citizens that in 1612 representatives from Macau went to Canton to argue that fortifications were required to defend the territory against the Dutch. The decision to fortify Macau was made in 1615 and Francisco Lopes Carrasco was charged with the job of overseeing the fortification efforts.”

A Fortaleza construído pelos jesuítas iniciou-se em 1617. (6)

 FORTALEZA DE S. PAULO DO MONTE (7)
(Faces nordeste e norte, vistas da estrada do cemitério de S. Miguel)
Photogravura de P. Marinho e desenho de Roque Gameiro,
segundo uma photographia do dr. A. de Magalhães (188…)
    INTERIOR DA FORTALEZA DE S. PAULO DO MONTE (7)
(Quartel de artilharia)
Photogravura de P. Marinho, segundo uma photographia  (188… ou 189…)

(1) BRAGA, Jack M. – A voz do Passado. Instituto Cultural de Macau, 1987,78 p. , 25,3 x 18,3 cm. Brochado. ISBN 972-35-0029-9. Fac-símile da edição do Boletim Eclesiástico da Diocese de Macau, 1964
(2) GOMES, Luís Gonzaga – Efemérides da História de Macau. Notícias de Macau, 1954, 267 p., 18 cm x 12 cm.
(3) Originariamente a fortaleza era chamada Nossa Senhora do Monte. Situada na colina de S. Paulo do Monte, no centro da Península de Macau, com uma altitude de 52 metros Foi em volta desta colina que os primitivos habitantes portugueses se fixaram
GRAÇA, Jorge – Fortificações de Macau, Concepção e História. Instituto Cultural de Macau, S/ data, 144 p.
(4) SILVA, Beatriz Basto da – Cronologia da História de Macau Séculos XVI-XVII, Volume 1. Direcção dos Serviços de Educação e Juventude, 2.ª Edição, Macau, 1997, 198 p. ISBN 972-8091-08-7.
O nome do autor da primeira planta não é bem conhecida. Segundo outros autores, terá sido Inácio Moreira.
(5) GARRETT, Richard J. – The Defences of Macau: Forts, Ships and Weapons over 450 years. Hong Kong University Press, 2010,  276 p. ISBN 978-9622-0999-37
(6) Sobre a Fortaleza do Monte ver anterior post:
https://nenotavaiconta.wordpress.com/2012/02/10/leitura-a-fortaleza-do-monte/
(7) TA-SSI-YANG-KUO, Série I -Vols I e II. Edição da Direcção dos Serviços de Educação e Cultura, 1984, 812 p.