“Faleceu o jesuíta Francisco Xavier (1), o grande Apóstolo da Ásia, na ilha de Sanchoão (2) segundo testemunho do jovem chinês António de Santa Fé, por ele baptizado. Fernão Mendes Pinto diz que este acontecimento ocorreu, em 2 de Dezembro de 1552, data geralmente aceite e baseada, numa carta escrita pelo Pe. Belchior Nunes Barreto, Provincial dos Jesuítas na Índia, em 1554, que colheu esta informação, numa carta escrita em Lisboa, em 23 de Dezembro do mesmo ano, pelo Pe. António Brandão” (3)

A data geralmente aceite como a do falecimento deste Santo é 3 de Dezembro de 1552, dia em que  Igreja comemora-o como Patrono Universal das Missões.

 Igreja de S. Francisco Xavier, em Sanchoão (4). A fachada está a data da sua construção 1869.
 Interior da Igreja de S. Francisco Xavier, em Sanchoão (5).

Na Capela da Missão de Coloane, dedicada a S. Francisco de Xavier, encontra-se uma das três relíquias, as únicas actualmente existentes, de S. Francisco Xavier. Trata-se de parte do úmero direito (as outras duas relíquias são o seu corpo incorrupto em Goa e o antebraço direito em Roma) que se encontra na sala «Sacrarium» da capela. Este pedaço de osso esteve na Igreja da Madre de Deus (S. Paulo). Depois do incêndio de 1835, a relíquia esteve em vários sítios acabando por ser colocado na ilha de Coloane (5) (6)

Sala «Sacrarium» da capela de S. Francisco (5)
  Parte do úmero direito
  Interior da Capela da Missão, em Coloane, 1985 (6)

(1) S. Francisco Xavier (1506 – 1552), nascido Francisco de Jasso y Azpilicueta em Navarra (Espanha), discípulo de Inácio de Loyola, um dos sete jesuítas, de Monmartre em 1534, chega a Lisboa em fins de 1540, para embarcar a 7 de Abril de 1541 para o Oriente.(7)  Em 17 de Abril de 1552, aos 46 anos de idade, parte de Goa com o grande objectivo de entrar na China. Chega à ilha de Sanchoão, via Malaca, nos princípios de Setembro e enquanto aguardava uma oportunidade para  entrar na China, adoece gravemente. Canonizado, juntamente com Inácio de Loyola, pelo Papa Gregório XV no dia 12 de Março de 1622.
(2)  “A ilha de Sanchoão é chamado pelos chineses «Sêung Ch´uen T´ou – ilha a montante da foz do rio do oeste, para distinguir de Há Ch´uen T´ou, a que fica a juzante.”  (4)
上川pinyin Shàngchuāndǎo. Também denominada Chang-Chuang, Sancian, Sanchão ou ilha de S. João
Nesta ilha existe um parque, onde está a igreja, um cenotáfio e uma estátua em memória do Santo.
(3) GOMES, Luís Gonzaga – Efemérides da História de Macau. Notícias de Macau, 1954, 267 p.
(4) AIDO, Paulo – Cumprir o sonho de Xavier. Macau, n.º 27, 1990
(5) CARMO. António – Sanchoão (A antepenúltima morada). Macau, n. º20, 1990
(6) ORTET, Luís – Na ilha de Coloane está guardada uma das três relíquias de S. Francisco Xavier. Nam Van, n. 8, 1985.
(7) “Sai a primeira expedição jesuíta de Lisboa para a Índia e Extremo Oriente, chefiada por Francisco Xavier (que fazia nesse dia 35 anos), na nau Santiago. Com ele seguem Micer Paulo (ou Paulo Camerte), Francisco Mansilhas e Diogo Rodrigues (noviço)”
SILVA, Beatriz Basto da – Cronologia da História de Macau Séculos XVI-XVII, Volume 1. Direcção dos Serviços de Educação e Juventude, 2.ª Edição, Macau, 1997, 198 p (ISBN 972-8091-08-7)