No anterior post: “NOTÍCIA – 27 DE JULHO DE 1862 – TUFÃO” (1) referi que a primeira descrição conhecida de um tufão neste território datava de 5 de Setembro de 1738.
Enganei-me, pois encontrei outra descrição mais antiga, precisamente de 28 de Julho de 1599.
Trata-se de uma descrição de Francisco Carletti nos “Arrazoamentos da minha viagem à volta do mundo” (2) (3)
“No ano de 1599, aos 28 do mês de Julho quando eu estava na cidade de Macau, vi mais de 10 ou 12 casas arruinadas pela água e pela força do tufão que nas ilhas Filipinas é chamado pelos castelhados «huracán». As casas são feitas de terra misturada com cal viva; são fortificações de tantas a tantas braças com tabiques de pedra murados a cal, sendo as aredes estucadas com cal por dentro e por fora, e cobertas de telhas em tudo ao modo da Espanha. Depois de ter soprado com tanta fúria, que não se podia andar pelas ruas nem sequer mostrar lá a cara, o vento parou, tendo passado por todos os rumos da rosa dos ventos, e continuou durante dois dias. além de muitos danos, e naus que fez desviar por toda a costa e portos de China, fez também perder no porto de Amacao uma nau que tinha vindo do Reino do Sião, carregada de lenha chamada comummente pau brasil, que eles neste país chamam «sapan»; da qual nau conseguiram com muita dificuldade escapar-se os marinheiros siameses com as suas mulheres, que segundo o seu costume levam consigo quando fazem longas viagens… “

Amacao 1598 (4)

(1) https://nenotavaiconta.wordpress.com/2012/07/27/noticia-27-de-julho-de-1862-tufao/
(2) Francesco Carletti (1573 -1636), mercador florentino, comerciante de escravos e viajante, compilou durante oito anos, as suas impressões da  viagem à volta ao mundo que começou em Espanha em 1594, tendo publicado “Ragionamenti di Francesco Carletti Fiorentino sopra le cose da lui vedute ne´ suoi viaggi si dell´ Indie Occidentali, e Orientali Come d´altri Paesi“, cerca 1701
http://it.wikipedia.org/wiki/Francesco_Carletti
(3) Tradução feita pelo Prof. Edgar Knowlton Jr (1890-1978 – professor catedrático jubilado de Línguas Europeias na  Universidade de Hawai) e citada em TEIXEIRA, P. Manuel – Macau através dos séculos. Macau, Imprensa Nacional, 1977, 87p., 22,3 cm x 15,7 cm
(4) Retirado de Rise & Fall of the Canton Trade System Gallery
http://ocw.mit.edu/ans7870/21f/21f.027/rise_fall_canton_04/cw_gal_01_thumb.html
NOTA : Segundo Beatriz Basto da Silva, trata-se de Macau no final do século XVI, segundo gravura em cobre (c. 1598) do artista Teodore de Bry. Foi copiado por Meinsner c. 1625 (Dervent Collection)
SILVA, Beatriz Basto da – Cronologia da História de Macau Séculos XVI-XVII, Volume 1, Direcção dos Serviços de Educação e Juventude, 2.ª Edição, Macau, 1997,198 p (ISBN 972-8091-08-7)