O triciclo corta a chuva devagar
deixando atrás a espuma breve
do esforço.
Vestido de plástico amarelo o condutor
inclina a cabeça coberta por um chapéu
de palha,
cai-lhe a água sobre as mãos
fincadas no gasto guiador.
O seu mundo é o das ruas
e das praças, o suor
a escorrer nos músculos das pernas.

Come pouco, fuma em silêncio
enquanto está sentado, à espera
de turistas, e de velhas chinesas
que vêm do mercado.

António Augusto Menano  (1)

NOTAS:
1 .  António Augusto Menano (1937), escritor, poeta, crítico e artista plástico, residiu em Macu entre 1988 e 1992.
Livros publicados relacionados com Macau:
Poemas do Oriente. Livros do Oriente, Macau, 1991, 70 p.
Poemas de Macau. Ed Kiwanis Clube, Figueira da Foz, 2007 (2)
Qual o começo de tudo isto?: histórias quase íntimas. Livros do Oriente, Macau, 1996, 128 p.
2. O postal intitulado ” A pedicab pedalling along the Avenida da Republica“, foi emitido pela “Dept. of Tourism -D.S.T., Macau” (5000 ex.; 1986 ?). Impresso na Gráfica de Macau Lda.

(1)Pág. 121 da Antologia de Poetas de Macau, selecção e organização Jorge Arrimar e Yao Jingming. Instituto Camões, Instituto Cultural de Macau, Instituto Português do Oriente, 1999, 313 p. ISBN 977-566-201-6 (IC)
(2) Pode-se ler uma “opinião” ao livro em:
http://triplov.com/letras/Julio-Conrado/2007/Zumbido-do-mosquito.htm