A weed from Catholic Europe, it took root
Between the yellow mountains and the sea,
And bore these gay stone houses like a fruit
And grew on China imperceptibly

Rococo images of Saint and Saviour
Promise her gamblers fortunes when they die;
Churches beside the brothels testify
That faith can pardon natural behaviour.

This city of indulgence need not fear
The major sins by which the heart is killed,
And governments and men are torn to pieces:

Religious clocks will strike; the childish vices
Will safeguard the low virtues of the child
And nothing serious can happen here
                                                       W.H.AUDEN (1)

W.H. Auden, (2) poeta (embora também publicasse prosa, drama, ensaios) natural de York (Inglaterra), visitou a China (com o companheiro Christopher Ishenwood de Janeiro a Julho de 1938) tendo passado por Hongkong e Macau.  Passou por Macau em 1938, alguns meses após a queda de Shanghai nas mãos dos japoneses.(3). Foi para os EUA em 1939 tendo-se  naturalizado americano. Na juventude foi adepto do socialismo e psicanálise de Freud e depois na América converteu-se ao Cristianismo e à teologia protestante (4).
Por estes versos, talvez pelo seu empenho politico, na altura, esquerdista (tinha participado na Guerra Civil espanhola),  não terá gostado muito de Macau especialmente da religião católica.

Outras referências a este poeta:
“O poeta inglês W.H. Auden (1907-73), nunca teve o mesmo status crítico que outros poetas modernos de língua inglesa, como o irlandês W.B. Yeats e os americanos T.S. Eliot, Ezra Pound, Wallace Stevens e outros. Mas, de uma maneira que não ocorre com eles, está sempre de volta à moda, ao noticiário, ao hábito de milhares de leitores em diversos países. Foi assim, por exemplo, depois dos atentados de 11 de setembro de 2001, em Nova York, quando um de seus poemas mais famosos – 1º de Setembro de 1939 – começou a ser citado e relido na cidade como se fosse um ponto de convergência, um sinalizador para situar melhor a sensação de desespero. Escrito para lamentar a eclosão da Segunda Guerra Mundial, tem várias passagens que parecem dizer respeito a questões daquele momento. “O inefável odor da morte/ Ofende a noite de Setembro”, diz já na primeira estrofe..(…)….Em 1994 uma onda audeniana como essa também acontecera, depois do sucesso mundial do filme Quatro Casamentos e Um Funeral, (5) com Hugh Grant.  O personagem de John Hannah lê no enterro do seu namorado, o poema Funeral Blues na medida certa de emoção: “He was my North, my South, my East and West,/ My working week and my sunday rest” . Auden, como o personagem de Callow, era gay, mas seu poema foi decorado por amantes de qualquer opção sexual desde então…(…)
Esses poemas são marcantes porque neles se misturam o bom poeta – de cadências agradáveis, métrica variável e palavras exatas, rimado e coloquial – com o intelectual público, o prosador crítico que trata de assuntos sérios ou eruditos com perspicácia e um dom de cunhar frases (como “clima de opinião” ou “era da ansiedade”) que só não supera os de Eliot e Yeats. É essa união entre o clássico e o moderno, o prosaico e o poético (aqui especialmente influente na poesia contemporânea), o privado e o público (crítico que era do homem comum e das autoridades), que é tão eficaz em Auden.”(6)
NOTA: Há uma outra versão deste poema, numa reimpressão Collected Shorter Poems (1966 p. 121) e Collected Poems (1976 p. 145) (7)

A weed from catholic Europe, it took root
Between some yellow mountains and a sea,
Its gay stone houses an exotic fruit,
A Portugal-cum-China oddity.

Rococo images of Saint and Saviour
Promise its gamblers fortunes when they die,
Churches alongside brothels testify
That faith can pardon natural behavior.

A town of such indulgence need not fear
Those mortal sins by which the strong are killed
And limbs and governments are torn to pieces:

Religious clocks will strike, the childish vices
Will safeguard the low virtues of the child,
And nothing serious can happen here.

(1) Retirado de PITTIS, Donald; HENDERS, Susan J, – Macao: Mysterious Decay and Romance. Oxford University Press, Hong Kong, 1997, 265 p. , ISBN 0-19-590569-5
(2) Wystan Hugh Auden (1907-1973)  foi um poeta anglo-americano tido como um dos grandes autores do seculo XX. Para os jovens intelectuais de esquerda, ele foi a grande voz da década de 1930
               http://pt.wikipedia.org/wiki/W._H._Auden
(3) Esteve também em Portugal de Março a Abril de 1936
(4) http://www.poets.org/poet.php/prmPID/120
(5) “Four Weddings and a Funeral” de Mike Newell (1994) tendo sido utilizado o seu poema “Stop all the clocks, cut off the telephone ( também conhecido como: Funeral Blues)”.
(6) http://www.danielpiza.com.br/interna.asp?texto=2159
(7) Para quem estiver interessado,, uma análise detalhada e explicativa deste poema por  George Monteiro, da  Brown University em:
               http://www.thefreelibrary.com/Auden+on+Macao.-a0185166824
              Outras criticas e análise da obra em referencia a este poema
+ Artigo de Rogério Miguel Puga “«MACAO» e «HONG KONG» de W.H. Auden: uma abordagem comparativista. Revista «Administração» n.º 55, vol XV, 2002
               www.safp.gov.mo/safppt/download/WCM_004320
+ W, H. Auden: Towards a Postmodern Poetics” de Rainer Emig, 2000, 237 p.
               http://books.google.pt/books?
+ The travelling Auden by Nicholas jenkins
               http://www.audensociety.org/travellingauden.html