Folheto turístico de 33 cm x 21,5 cm, dobrável, edição da DST, Julho de 1983, contendo num dos lados, o mapa de Macau, o mapa de Taipa e Coloane e no verso, a legenda dos 70 pontos turísticos do território em três línguas (português, chinês e inglês).
Estão referenciados por “capítulos”:
Inexplicavelmente nem toda a numeração  constante na legenda , está referenciada no mapa.
I – Locais de atracção turística: 1 -12
O n.º 9 – Museu Luís de Camões, neste momento é a sede da Fundação Oriente.
II – Centros de divertimento e clubes: 13 – 21
Já não existem o n.º 13 – Palácio da Pelota Basca (não sinalizada no mapa); o n.º 19 – Casino Jai Alai e o n.º 20 – Casino Macau Palace
III – Serviços Públicos: 22 – 31
Como nem todos os serviços assinalados estão “marcados” no mapa; torna-se difícil saber se estão correctas mas muito provavelmente estarão em novos edifícios.
IV – Igrejas católicas: 32 – 39
V –  Hotéis: 40 – 51
Já não estão em funcionamento os hotéis n.º 40 – Bela Vista; n.º 41 – Estoril; n.º 43 – Matsuya. Outros passaram a ter outra denominação: n.º 50 – Excelsior (hoje Grand Lapa Hotel); n.º 51 – Hyatt Regency (Taipa) (hoje, Regency Hotel)
VI  – Restaurantes: 52 – 59
Nenhum dos restaurantes referenciados estão assinalados no mapa. Da lista, já não existe o n.º 59: Long Kei
VII – Diversos: 60-62
VIII – Ilhas: 63 – 70
O n.º 64 – Universidade da Ásia Oriental é agora Universidade de Macau;