Na continuação da leitura do livro LITERATURA ULTRAMARINA , OS PROSADORES (1), publicado em 1972, pela Sociedade de Geografia de Lisboa, colectânea de pequenos textos retirados de livros (uma selecção de textos conforme afirma o autor, Amândio César (2), transcrevo do conto A LORCHA do livro “Cartas do extremo oriente” de António de Santa Clara (3)
Pela madrugada levantou-se uma ligeira brisa. acordei e vesti o casaco; quiz tornar a adormecer mas não o consegui. A lorcha balouçava mais. Ouvia-se já as vozes roucas de gente desperta, vozes que têm de madrugada um outro acento…
A luz de alva surgiu em imperceptíveis gradações, essa primeira luz indecisa do dia, irreal e suave como um resto de luar; parecia que andava entornada no ar e alma duma ópala…
E no nascente adivinhava-se um laivosinho rosa, ténue e delicado…E o milagre da luz não se demorou em trazer-nos, nas suas magníficas vestes de púrpura, a realidade dum novo dia.
A-pesar-da pureza do céu o vento soprava agora furiosamente levantando pequenas vagas na enseada em que nos abrigámos. E o mais velho de bordo decidiu que seria prudente regressar antes que a tempestade nos apanhasse de surpresa.”
A cerca do autor  António de Santa Clara (1902 – ? ), transcrevo de (4):
A viagem de um jovem oficial português de Marselha a Hong Kong em finais da década de 20 do século XX. Hóspede do governador de Hong Kong, Cecil Clementi, ruma a Macau e aí verte as primeiras considerações sobre as diferenças extremas que separam Oriente e Ocidente. Visitas a Hué e Saigão (Indochina), Kota Bahru (Malaya britânica) e Singapura a bordo de um aparelho da Royal Air Force. Visita Shanghai dos excessos e dos contrastes, a paisagem chinesa vista do combio a caminho de Pekin. Os esplendores monumentais da antiga capital, a ocidentalização, os cabarebs animados por russas, um passeio nocturno pelos insalubres hutong. Visita a Moukden (Shenyang) e à Coreia ocupada pelos japoneses. Incursão ao Japão de 1935.”
(1) Sobre este livro e sobre o autor, ver meu anterior blogue – LITERATURA ULTRAMARINA – DENTRO DO BARCO DA VELHA
https://nenotavaiconta.wordpress.com/2012/03/02/leitura-literatura-ultramari-na-dentro-do-barco-da-velha/
(2) CÉSAR, Amândio – Literatura Ultramarina, os prosadores. Sociedade de Geografia de Lisboa, Semana do Ultramar, 1972, 197 p + |1|
(3) SANTA CLARA, António de – Cartas do extremo oriente. Lisboa: Livraria Editora, Parceria António Maria Pereira, 1938, 230 p.+ |1|,19 cm
(4) Os portugueses e o Oriente: Sião, China, Japão 1840-1940: http://books.google.com/booksid=4OlFafEy9IMC&pg=PA123&lpg=PA123&dq=Ant%C3%B3nio+Santa+Clara+extremo+Oriente&source=bl&ots=EekWiGbiCh&sig=uTwbbNdA2KAvXKMBMjSp_prG6DQ&hl=pt-PT&ei=4rbWTr-wLc-78gPUobT6AQ&sa=X&oi=book_result&ct=result&resnum=2&sqi=2&ved=0CCAQ6AEwAQ#v=onepage&q=Ant%C3%B3nio%20Santa%20Clara%20extremo%20Oriente&f=false