Faz hoje 170 anos – nascimento de Pedro Nolasco da Silva  (6/05/1842). Sobre este macaense que já referi a propósito da Escola Primária Oficial que tem o seu nome (1) e do seu trabalho como sinólogo (2), da leitura do livro de Padre Teixeira (p. 346), retiro um episódio passado em Pequim, pelo Pedro Nolasco da Silva «distintíssimo sinólogo»: (3)                       

“Em Pekin existem muitos theatros publicos, mas não é facil a um estrangeiro frequenta-los. O nosso amigo Pedro Nolasco da Silva, tendo ido um domingo dar um passeio de carreta para o campo, ao entrar de novo na cidade , como passasse defronte d´um theatro, mandou parar, apeou-se, comprou o seu bilhete e pacatamente entrou na sala. Apenas porem assomou à porta, os trezentos ou mais chinas, que assistiam ao espectaculo, principiaram num´a algazarra infernal exigindo a expulsão do selvagem ! Foi em vão que um empregado tentou serenar a tempestade explicando, aos berros tambem que o selvagem falava china, o que de sobejo provava a sua amizade pelos celestiaes, e que tinha honradamente pago o seu bilhete. Tudo foi inutil. A gritaria cada vez rugia mais ameaçadora , e o nosso amigo teve de se retirar prudentemente, mettendo-se à pressa na carreta que o trouxe indignado e a galope à legação”

 

Pedro Nolasco da Silva foi nomeado em 1887 “Secretário Intérprete do Ministro Plenipotenciário em Pequim, Conde  de Sousa Rosa, de cuja especial missão na capital chinesa resultou o Tratado Luso-Chinês de 1 de Dezembro daquele ano , pelo qual a China reconheceu, pela primeira vez a soberania de Portugal sobre Macau” (4).
Chefe na Procuratura dos Negócios Sínicos. Prof. mandarim e cantonense no Seminário de S. José. Fundador da Associação Promotora da Instrução Macaense e da Escola Comercial, de que foi o 1º director. Mais tarde foi atribuído o seu nome a esta escola. Presidente da Confraria da Imaculada Conceição. Provedor da Santa Casa da Misericórdia e fundador do Asilo dos Órfãos. Presidente do Leal Senado. Vogal do Conselho da Província (1892), Tribunal de Contas(1897), Conselho do Governo(1899) e oficial do Batalhão Nacional. Cavaleiro da Ordem de Cristo. Recebeu no batismo o nome de Pedro José que, mais tarde, mudou para Pedro Nolasco em atenção a seu pai,  Capitão Pedro Nolasco da Silva (5)
(1) https://nenotavaiconta.wordpress.com/2012/01/17/escola-primaria-oficial-pedro-nolasco-da-silva-i/
(2) https://nenotavaiconta.wordpress.com/2012/02/02/proverbios-chineses-i/
(3) Episódio relatado pelo Conde Arnoso no livro “Jornadas pelo Mundo” (pp. 248-49) e transcrito pelo Padre Teixeira in Galeria de Macaenses Ilustres do Século XIX. Macau-Imprensa Nacional-1942, 659 p.
(4) ARESTA, António – A Educação Portuguesa no Extremo Oriente. Lello  Editores, 1999, 254 p. + |1| ISBN 972-48-1768-7
(5) http://pagfam.geneall.net/0776/pessoas.php?id=1010679