As escolas primárias relacionadas com o ensino em língua portuguesa, na década 50/60, eram a Escola Primária Oficial Pedro Nolasco da Silva (mais conhecida por “Central“, com secção masculina e feminina) ( em cantonense: kuók-lâp Pák-tó-lôk Siu-hók-háu), Colégio D. Bosco ( só masculino, inaugurado a  10 de Fevereiro de 1951, a primeira fase), o Colégio Santa Rosa de Lima (numa segunda fase, só feminino)   e mais tarde,  a Escola Primária Oficial Luso-Chinesa “Sir Robert Ho Tung” (inaugurada a 3 de Fevereiro de 1951).
Frequentei a Escola Primária Oficial “Pedro Nolasco da Silva” (inaugurado a 5 de Outubro de 1939, na Alameda Vasco da Gama com o nome de Escola Primária Municipal) (1) e desta escola, tenho muitas e boas recordações. A secção masculina era à esquerda de quem entrava pela porta principal. A ala masculina dava para o terreno onde está o Monumento da Vitória. A Ala feminina dava para o terreno do antigo Hotel Estoril /piscina municipal. Na altura tinha somente três pisos (r/c , 1.º andar e 2.º andar).
Desconheço quando passou a denominar-se “Pedro Nolasco da Silva“. Na  visita do Ministro do Ultramar a Macau, em Junho de 1952, ainda era referido como  “Escolas Primárias Oficiais” (2):
Dirigiu-se em seguida às Escolas Primárias Oficiais, onde foi  recebido pelo Inspector do Ensino primário, Dr. Adelino da Conceição, e pelos directores das Escolas, Da. Áurea Salvado e Luiz Gonzaga Gomes, percorrendo todas as dependências e salas de aula, quase todas em funcionamento, sendo saudado pelas crianças com salvas de palmas estrondosas e vibrantes. ”


Retiro, da pág. 61 do livro do Padre Teixeira (1), o relatório da directora da secção feminina dessa escola, relativo ao ano 1939-1940, D. Maria Luísa de Oliveira Rodrigues:
“O edifício mandado construir pelo Leal Senado de Macau para nele se instalarem as duas Escolas Primárias, a do Sexo Masculino e a do Sexo Feminino, está situado no prolongamento norte da Avenida “Vasco da Gama” e tem a sua fachada principal voltada para o lado oeste, com um pequeno desvio para o norte, olhando a maioria das suas salas de aula, com as suas janelas, para esta direcção. A escola do Sexo Feminino ocupa o lado direito de edifício, separada da do Sexo Masculino por um corpo central, comum às duas escola, e nele começou a funcionar no dia imediato ao da sua inauguração, que se realizou em 5 de Outubro de 1939. O estado geral da escola é bom e pode mesmo afirmar-se que o edifício em que ela está instalada é um dos melhores da Colónia. No entanto, é conveniente e mesmo necessário que se eliminem certas imperfeições, que ali se notam, tais como: As más condições acústicas; o sistema das janelas, o qual não permite que estas se abram convenientemente, tornando-se, como é natural, quentes as salas de aulas, no verão; a grande intensidade de luz nas classes, a qual não pede ser regulada por serem as janelas inteiramente envidraçadas, de modo a prejudicar a vista tanto dos professores como das alunas.”
Outra informação, retirada do mesmo livro (1) aquando da minha passagem (1958/59 até 1961/1962) por este estabelecimento de ensino. Os alunos matriculados nesses anos:

Ano lectivo

Feminino

Masculino

Total

1958-1959

263

220

491

1959-1960

275

253

528

1960-1961

292

259

551

1961-1962

289

249

538

Recorda-se que Pedro Nolasco da Silva (Macau, 6 de Maio de 1842Macau, 12 de Outubro de 1912) foi um ilustre intérprete-tradutor, professor, funcionário público, escritor, jornalista e dirigente associativo macaense. Entre outros cargos importantes, foi presidente do Leal Senado, sócio-fundador e presidente da Associação Promotora da Instrução dos Macaenses, fundador e director da Escola Comercial Pedro Nolasco, chefe da Repartição Técnica do Expediente Sínico (1885-1892) e provedor da Santa Casa da Misericórdia.(3)
NOTA:
1 – A Escola Primária Oficial Pedro Nolasco da Silva foi extinta em 1997 (Decreto-lei n,º 24/97/M de 16 de Junho).
Creio que desde 1994, está instalada no mesmo edifício, a Escola Secundária Luso-Chinesa de Luís Gonzaga Gomes, tendo sido construídos em 2003, dois novos blocos, um em cada extremo do Edifício Principal, ficando com 3 pisos.
2 – Como era uso no meu tempo, usava-se a bata. Se não me engano, os rapazes era de azul e as raparigas de cor de rosa.
3 – Foto da escola «Uma escola primária com secções masculina e feminina» foi retirada de “Macau, pequena monografia”  (sobre este livro, ler meu post anterior: LEITURA – MACAU PEQUENA MONOGRAFIA)
3 – Para os interessados na vida e obra de Pedro Nolasco da Silva, poderão encontrá-la em:
TEIXEIRA, P- Manuel – Galeria de Macaenses Ilustres do Século XIX.
A edição que possuo é de 1942, Macau-Imprensa Nacional, 659 p. Creio ter sido publicada nas Comemorações da Fundação e da Restauração, 1940. Desconheço se foi republicada.
ARESTA, António – Pedro Nolasco da Silva e o   Neoconfucionismo na Educação Portuguesa ( pp. 55-85) in  A   Educação Portuguesa no Extremo Oriente.   Lello Editores, 1999, 254 p + |1|, ISBN 972-48-1768-7.
Fotos da EPO poderão ainda ser vistos no Blogue de João Botas http://macauantigo.blogspot.com/2009/04/escolas-primarias.html
(1) TEIXEIRA, Padre Manuel – A Educação em Macau. Direcção dos Serviços de Educação e Cultura, Macau, 1982, 423 p + |9|
(2)BARROTE, David (coordenação) – A Visita do Ministro do Ultramar a Macau em Junho de 1952. Edição da  Repartição Central dos Serviços Económicos, 1952, 328 p.
(3) http://pt.wikipedia.org/wiki/Pedro_Nolasco_da_Silva